Economia

Leilão da Cedae tem 4 grupos credenciados, diz fonte

Reuters
Reuters
Leilão da Cedae tem 4 grupos credenciados, diz fonte
Caminhão-pipa com água potável

27 de abril de 2021 - 19:15 - Atualizado em 27 de abril de 2021 - 19:20

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) – Ao menos quatro grupos se credenciaram para participar do leilão de concessão da companhia fluminense de saneamento básico Cedae, marcado para sexta-feira na B3, disse à Reuters uma fonte a par do assunto.

Os grupos são os consórcios Redentor (liderado pela Equatorial), Rio Mais Operações de Saneamento (que reúne BRK Ambiental, do grupo canadense Brookfield, e Águas do Brasil) e Aegea, além da Iguá Saneamento.

Os consórcios Redentor e Rio Mais se credenciaram para os blocos 1, 2 e 4. A Iguá vai concorrer pelos blocos 1 e 2 e a Aegea vai disputar todos, segundo dados aos quais a Reuters teve acesso.

A Aegea afirmou que entregou proposta para o leilão, mas não deu detalhes. BRK Ambiental e Equatorial não comentaram o assunto. A Iguá Saneamento não se manifestou de imediato.

Procurado, o BNDES não comentou especificamente sobre os grupos credenciados para a disputa. O chefe da área de concessões e PPPs do banco de fomento, Guilherme Albuquerque, afirmou, porém, que “o leilão tem interesse do mercado…vai ser agitado e vai ter concorrência”.

Dos quatro blocos de ativos da Cedae que serão ofertados, o de número 3 seria o único com apenas um interessado: a Aegea.

O bloco 3 engloba uma parte da zona oeste da capital carioca e cidades fluminenses de menor densidade, como Pinheiral, Rio Claro e Pirai (no interior e sul do Estado), além de Paracambi, Seropédica e Itaguaí (na região metropolitana do Rio de Janeiro).

A outorga mínima dos quatro blocos soma 10,6 bilhões de reais. O leilão dos ativos da Cedae marca o maior certame na área de saneamento do país neste ano.

O processo de aumento da participação privada do setor começou ano passado, quando o marco legal do saneamento foi aprovado. O maior pagamento de outorga até agora foi ofertado pela BRK Ambiental no final de setembro, no leilão de áreas da estatal alagoana Casal. A companhia ofertou 2 bilhões de reais ante mínimo definido em edital de cerca de 15 milhões de reais.

Segundo a mesma fonte, a liminar concedida pelo Tribunal Regional do Trabalho do Rio (TRT-RJ) que suspendeu na véspera o leilão foi cassada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux.

Os vencedores do leilão poderão explorar as áreas de distribuição de água e coleta e tratamento de esgoto da Cedae por 35 anos e o investimento previsto é de mais de 30 bilhões de reais ao longo dos contratos.

(Reportagem adicional de Aluísio Alves, em São Paulo)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH3Q1CW-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.