Economia

Lee Kun-hee, que fez da Samsung uma potência global, morre aos 78 anos

Reuters
Reuters
Lee Kun-hee, que fez da Samsung uma potência global, morre aos 78 anos
Foto de arquivo de Lee Kun-hee na sede da Samsung em Seul

25 de outubro de 2020 - 15:05 - Atualizado em 25 de outubro de 2020 - 15:10

Por Joyce Lee e Cynthia Kim e Hyunjoo Jin

SEUL (Reuters) – Lee Kun-hee, que transformou a Samsung em uma potência global em smartphones, semicondutores e televisores, morreu neste domingo depois de passar mais de seis anos no hospital após um ataque cardíaco, informou a empresa.

Lee, que tinha 78 anos, transformou o Grupo Samsung no maior conglomerado da Coreia do Sul e se tornou a pessoa mais rica do país.

Mas também foi condenado por suborno e evasão de impostos, e ele e o império que construiu foram atacados por exercer enorme influência econômica no governo, por manter uma administração não-transparente dos negócios e pela transferência duvidosa da riqueza na família.

“Lee é uma figura tão simbólica na ascensão espetacular da Coreia do Sul e como a Coreia do Sul abraçou a globalização, que sua morte será lembrada por muitos coreanos”, disse Chung Sun-sup, diretor executivo da empresa de pesquisa corporativa Chaebul.com.

Os 326,7 trilhões de wons (289,6 bilhões de dólares) em receita das afiliadas do Grupo Samsung em 2019 foram equivalentes a 17% do produto interno bruto da Coreia do Sul, de acordo com dados da Fair Trade Commission e cálculos da Reuters.

Lee morreu com a família ao seu lado, informou o conglomerado.

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG9O0I5-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.