Economia

Juros renovam mínimas e acentuam baixa, com busca por DI de longo prazo

Estadão
Estadão Conteúdo

30 de junho de 2020 - 10:37 - Atualizado em 30 de junho de 2020 - 10:37

Os juros futuros renovaram mínimas e acentuaram a baixa nos longos, que operam na contramão do dólar, refletindo a procura por vencimentos de longo prazo, segundo José Faria Júnior, sócio-diretor da Wagner Investimentos. A liquidez, no entanto, é reduzida.

“O juro 2021 está sem espaço, por ora, para cair. Vai ficar estável até termos novidades. Os demais seguem na tendência de baixa. Os dados mostram busca por RF renda fixa mais longa, que têm algum prêmio, vide a maior demanda por títulos da Itália (um dos piores rating da Europa), que estão no maior patamar desde 2012”, explica Faria Júnior.

A taxa de desemprego de 12,9% no trimestre até maio e o desempenho do setor público consolidado, com déficit primário de R$ 131,438 bilhões em maio, ficaram em segundo plano.

Às 10h12, o DI para janeiro de 2029 caía a 7,24%, na mínima, de 7,31%, e o para janeiro de 2027 recuava para 6,69%, de 6,73% no ajuste anterior. O para janeiro de 2023 estava 4,04%, de 4,06%, enquanto o vencimento para janeiro de 2022 apontava taxa de 2,94%, de 2,95% tem no ajuste.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.