Economia

Índia continuará exportando medicamentos, incluindo vacinas, diz primeiro-ministro

Reuters
Reuters

9 de janeiro de 2021 - 14:02 - Atualizado em 9 de janeiro de 2021 - 14:02

NOVA DÉLI (Reuters) – O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, disse neste sábado que o país continuará exportando medicamentos, incluindo vacinas, num momento em que as empresas estão aumentando a produção.

O país, com o maior número de infecções no mundo depois dos Estados Unidos, está desenvolvendo duas vacinas contra Covid-19

“O mundo não está apenas esperando pelas vacinas da Índia, mas também observando atentamente como a Índia lida com o maior programa de vacinação do mundo”, disse Modi, em um discurso anual aos indianos no exterior.

“Sendo a maior farmácia do mundo, a Índia forneceu remédios para os necessitados em todo o mundo no passado e está fazendo isso hoje também.”

A Índia é a maior fabricante mundial de vacinas. Sua indústria farmacêutica vem liberando capacidade e avançando com investimentos para ajudar a apoiar uma campanha global de vacinação.

O secretário de Saúde, Rajesh Bhushan, disse no início deste mês que não há proibição de exportação de vacinas, após relatos da mídia de que o governo tinha imposto restrições para garantir que as demandas de vacinas domésticas fossem atendidas primeiro.

(Por Nidhi Verma)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.