Economia

Ibovespa avança com cenário externo favorável a risco

Reuters
Reuters
Ibovespa avança com cenário externo favorável a risco
(Blank Headline Received)

28 de agosto de 2020 - 11:27 - Atualizado em 28 de agosto de 2020 - 11:30

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) – O sinal positivo prevalecia na bolsa paulista nesta sexta-feira, em pregão beneficiado pelo cenário externo, onde a perspectiva de juros muito baixos nos Estados Unidos por um período prolongado respaldava apetite a risco.

Às 11:09, o Ibovespa subia 0,38 %, a 101.001,87 pontos. O volume financeiro era de 4 bilhões de reais.

Em Wall Street, o S&P 500 renovou máxima histórica já na abertura, após a mudança de estratégia de política monetária anunciada pelo Federal Reserve na véspera reforçar apostas de que o custo do dinheiro nos EUA seguirá baixo por algum tempo.

No Brasil, o BTG Pactual ressaltou que tem chamado a atenção dos investidores o crescimento da volatilidade no mercado em razão da indefinição sobre a Renda Brasil e o Orçamento de 2021.

“A velha agenda de Guedes (Paulo Guedes, ministro da Economia)- fim do abono, fim dos programas sociais, etc. – parece que já está descartada, elevando assim o risco político que está concentrado no comportamento do próprio presidente.”

Em nota a clientes, a equipe do banco citou ainda que, na bolsa, o mercado está depurando os riscos fiscais existentes junto com a fragilidade a cada dia do ministro Guedes, seguindo e patinando quase no mesmo lugar, ao redor dos 100 mil pontos.

DESTAQUES

– CYRELA ON subia 5,14%, após a Cury Construtora e Incorporadora estabelecer faixa indicativa entre 11 e 14,30 reais por ação para IPO que espera precificar em 17 de setembro e que pode movimentar até 1,755 bilhão de reais. A Cyrela é um dos acionistas vendedores na operação.[nL1N2FU0N0]

– BB SEGURIDADE ON tinha elevação de 2,64%. Na véspera, a corretora Safra enviou nota a clientes sobre reunião da BB Seguridade com analistas, na qual a empresa afirmou que já enxerga aumento de prêmios de seguros. No setor, SULAMERICA UNIT valorizava-se 1,48%.

– PETROBRAS PN subia 0,27% e PETROBRAS ON ganhava 0,44%, apesar da fraqueza do petróleo no exterior. O BTG Pactual estima que a empresa possa levantar pelo menos 3,9 bilhões de dólares com a venda da Refinaria Landulpho Alves (RLAM) e da Repar.

– ULTRAPAR ON avançava 2,01%, em sessão de recuperação após quatro quedas seguidas, em que perdeu mais de 6%. A companhia era uma das candidatas a apresentar proposta vinculante para aquisição da refinaria Presidente Getúlio Vargas, conhecida como Repar, da Petrobras.

– ITAÚ UNIBANCO PN subia 0,66%, assim como BRADESCO PN, em alta de 0,52%. Dados do Banco Central nesta sexta-feira mostraram que a inadimplência no Brasil caiu a uma mínima recorde em julho de 3,5%, dado que abarca o segmento de recursos livres.

– VALE ON avançava 0,54%, após ajuste negativo na véspera, respaldada pela alta dos preços futuros do minério de ferro na China nesta sexta-feira.

– IRB BRASIL RE ON caía 1,44% antes da divulgação de seu resultado do segundo trimestre, prevista para após o fechamento do mercado.

– YDUQS ON recuava 1,48%, ainda pressionada pelo resultado trimestral com prejuízo, refletindo maiores provisões para perdas esperadas com calotes e a concessão de maiores descontos a alunos, em meio aos efeitos da Covid-19.

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG7R13U-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.