Economia

Grupo de renováveis Atlas tem aval do Cade para comprar projetos solares em MG e SP

Reuters
Reuters
Grupo de renováveis Atlas tem aval do Cade para comprar projetos solares em MG e SP
Parque de energia solar

25 de setembro de 2020 - 14:51 - Atualizado em 25 de setembro de 2020 - 14:55

SÃO PAULO (Reuters) – Uma empresa do grupo Atlas, controlado pelo fundo de private equity Actis, recebeu autorização do órgão brasileiro de defesa da concorrência para a aquisição de projetos solares pré-operacionais em Minas Gerais e São Paulo.

A transação, que envolve a Atlas Casablanca Comercializadora de Energia e a desenvolvedora de projetos Powertis, com sede na Espanha, foi aprovada sem restrições pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), de acordo com despacho no Diário Oficial da União desta sexta-feira.

O negócio vem à tona pouco depois de executivos da Atlas terem afirmado à Reuters, em julho, que a empresa focada em energia solar tem planos de até dobrar a carteira de ativos no Brasil nos próximos três anos.

As empresas assinaram memorando de entendimento que prevê a compra pela Atlas da totalidade do capital social de sociedades controladas pela Powertis responsáveis pela implementação de usinas fotovoltaicas com previsão de início das operações em fevereiro de 2022 e janeiro de 2023.

“A Atlas Energia acredita que o mercado de geração de energia solar está em expansão no Brasil, de forma que a aquisição… representa uma boa oportunidade de investimento. Para a Powertis, a operação representa uma oportunidade de arrecadar recursos para novos negócios”, apontou o Cade em parecer.

A Atlas faz parte de um grupo com negócios de geração renovável no Chile, México e Uruguai, além de parques em operação na Bahia e no Ceará.

Já a Powertis pertence à Soltec Power Holdings, especializada na fabricação e execução de projetos de energia solar na Europa e América Latina.

O valor da operação entre as empresas não foi revelado.

O Cade avaliou que a transação não gera riscos à concorrência, dado o baixo percentual de participação das empresas no mercado.

(Por Luciano Costa)

tagreuters.com2020binary_LYNXNPEG8O1SH-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.