Economia

Gerdau tem lucro acima do esperado no 4º tri, eleva previsão de investimento em 2021

Reuters
Reuters
Gerdau tem lucro acima do esperado no 4º tri, eleva previsão de investimento em 2021
Gerdau tem lucro acima do esperado no 4º tri, eleva previsão de investimento em 2021

24 de fevereiro de 2021 - 13:39 - Atualizado em 24 de fevereiro de 2021 - 13:40

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) – A Gerdau teve lucro líquido de 1,057 bilhão de reais nos últimos três meses de 2020, um salto de 939% em relação ao mesmo período do ano anterior, superando as expectativas de analistas, e elevou previsão de investimentos para 2021 em meio a desempenho positivo de geração de caixa.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado cresceu 169% ano a ano, para 3,056 bilhões de reais, melhor resultado para um quarto trimestre na história da companhia. A margem Ebitda ajustada subiu para 22,4%, de 11,9% um ano antes.

Projeções compiladas pela Refinitiv apontavam lucro líquido de 851,41 milhões de reais e Ebitda de 1,981 bilhão de reais para o período.

Em termos ajustados, segundo os dados divulgados nesta quarta-feira, o lucro líquido ficou em 1,2 bilhão de reais, ante 61 milhões de reais um ano antes, performance que acompanhou a melhora verificada nos resultados de rivais.

Na segunda-feira, a CSN reportou lucro de 3,9 bilhões de reais no último trimestre de 2020, com Ebitda ajustado triplicando e a margem quase dobrando a 47%, por preços maiores de aço e minério de ferro e vendas maiores.

A Usiminas, que divulgou seus números mais cedo no mês, alcançou lucro de 1,9 bilhão de reais, mais do que triplicando o Ebitda ajustado, com a margem saltando para 29%.

No quarto trimestre, a Gerdau produziu 14% mais aço e vendeu 5% mais em relação ao mesmo período do ano anterior. A receita cresceu 43%, enquanto o custo das vendas subiu 24% e as despesas com vendas, gerais e administrativas avançaram 37%.

“A receita líquida foi influenciada, principalmente, pela depreciação do real de 31% nos últimos doze meses, com impacto positivo especialmente pela conversão das receitas das nossas operações na América do Norte”, disse a Gerdau.

“Soma-se a isso a recomposição de margens, em razão do aumento dos custos com matéria-prima, com o objetivo de manter a rentabilidade”, acrescentou.

Com o desempenho do período, a alavancagem da companhia caiu de 2,07 vezes no final de setembro para 1,25 vezes no fim de dezembro, abaixo também do nível de 1,67 vez do final de 2019.

O resultado financeiro negativo, porém, cresceu 207% no quarto trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para 834 milhões de reais, com a empresa citando variação cambial e despesa com recompra de títulos da dívida.

O fluxo de caixa livre ficou positivo em 2,4 bilhões de reais no último trimestre do ano passado, totalizando 4,5 bilhões de reais em todo o ano de 2020.

A Gerdau revisou previsão de investimentos para o ano de 2021, que passou de 2,6 bilhões para 3,5 bilhões de reais, elevando, assim, o plano de desembolso para o período de 2019 a 2021 para 6,9 bilhões de reais.

A companhia citou o “desempenho bastante favorável” na geração de fluxo de caixa livre para justificar a revisão do seu plano de investimentos para 2021, “realocando os desembolsos postergados no ano 2020 (em razão da Covid-19) para o ano 2021”.

Em 2020, o desembolso de capex representou investimentos da ordem de 1,6 bilhão de reais.

UNIDADES

A produção de aço bruto da Gerdau no Brasil subiu 9% na comparação com o quarto trimestre do ano anterior, atingindo 1,565 milhão de toneladas.

As vendas no mercado interno cresceram 22% na comparação anual, enquanto as exportações tiveram retração de 61%. As vendas de aços longos e de planos recuaram 5% cada na base ano a ano, pressionadas pelo desempenho dos embarques ao exterior;

O desempenho no Brasil fez o Ebitda ajustado da unidade saltar 232% na comparação anual enquanto a margem avançou de 13,3% para 30,9%.

Na América do Norte, o Ebitda cresceu 113%, com margem apresentando acréscimo para 11,2%. Na América do Sul, que exclui Brasil e inclui países como Argentina, Peru, Uruguai e Venezuela, o Ebitda subiu 148%, com a margem avançando a 34,2%.

A divisão de aços especiais, que tem entre os principais clientes a indústria automotiva, registrou alta de 172% do Ebitda, enquanto a margem subiu para de 8,2% para 15,1% entre o quarto trimestre de 2019 e os últimos três meses de 2020.

A Gerdau realiza teleconferência sobre o resultado a partir das 14h (horário de Brasília).

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1N16L-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.