Economia

Fed diz que escassez de matérias-primas e problemas de contratação estão atrapalhando recuperação

Reuters
Reuters
Fed diz que escassez de matérias-primas e problemas de contratação estão atrapalhando recuperação
Fachada da sede do Federal Reserve, em Washington

9 de julho de 2021 - 13:16 - Atualizado em 9 de julho de 2021 - 13:20

WASHINGTON (Reuters) – A escassez de matérias-primas e as “dificuldades de contratação” estão atrapalhando a recuperação econômica dos Estados Unidos diante da pandemia de coronavírus e levaram a um foco “transitório” de inflação, disse o Federal Reserve nesta sexta-feira.

“O progresso na vacinação levou à reabertura da economia e ao forte crescimento econômico”, disse o banco central norte-americano em seu relatório semestral ao Congresso dos EUA sobre o estado da economia. No entanto, “a escassez de insumos e as dificuldades de contratação prejudicaram a atividade em vários setores”.

O relatório será objeto de audiência no Congresso na semana que vem, que vai incluir depoimento do chair do Fed, Jerome Powell, sobre as perspectivas para a economia, a inflação e a transição da política monetária à medida que o impacto da pandemia perde força.

O relatório divulgado pelo Fed nesta sexta-feira é, em grande parte, retrospectivo, mas documenta a visão do banco central de que a recuperação continua no caminho certo, à medida que empresas e famílias navegam por uma reabertura econômica complicada.

Os preços têm saltado mais rápido do que o esperado, por exemplo, e, embora os gargalos de oferta e outros fatores que colaboram para a inflação sejam vistos como temporários, “aumentaram os riscos de alta para as perspectivas de inflação no curto prazo”.

As contratações também desaceleraram por um motivo inesperado: as empresas querem contratar mais funcionários, mas não há trabalhadores prontos suficientes para assumir esses empregos em meio a preocupações sanitárias e familiares contínuas, enquanto o apoio de auxílio-desemprego contínuo do governo ajuda a pagar as contas.

“Muitos desses fatores devem ter um efeito menor nos próximos meses”, disse o Fed, embora a velocidade e a força da recuperação do emprego também permaneçam incertas.

Ainda assim, disse o banco central, os dados disponíveis sugerem “um aumento ainda mais robusto na demanda” nos meses de abril a junho

“Contra um cenário de elevada poupança das famílias, condições financeiras flexíveis, apoio fiscal contínuo e a reabertura da economia, a força dos gastos das famílias persistiu”, enquanto o sistema financeiro permanece “resiliente”, afirmou o Fed.

(Por Howard Schneider)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH680WR-BASEIMAGE