Economia

Fazer “mais e mais rápido” na política monetária reduz intensidade do ajuste total, diz Campos Neto

Reuters
Reuters
Fazer “mais e mais rápido” na política monetária reduz intensidade do ajuste total, diz Campos Neto
Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto

25 de março de 2021 - 13:12 - Atualizado em 25 de março de 2021 - 13:15

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse nesta quinta-feira que quando o Comitê de Política Monetária (Copom) fala em normalização da política monetária se refere a caminhar em direção ao juro neutro e acrescentou que se o colegiado fala em normalização parcial “significa que nós não entendemos que esse movimento deva acontecer agora”.

“O ajuste nós temos descrito como ajuste parcial e temos dito que o ajuste mais célere nos faz crer que na verdade fazer mais, e fazer mais rápido, faz com que a intensidade total deva ser menor”, disse Campos Neto em entrevista à imprensa para comentar o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de março.

Ao elevar os juros básicos em 0,75 ponto percentual na última semana, para 2,75%, o Copom afirmou em comunicado que estava iniciando “um processo de normalização parcial, reduzindo o grau extraordinário do estímulo monetário”.

Segundo Campos Neto, quando a Selic chegou ao patamar de 2% o BC tinha um cenário de crescimento e inflação que não se concretizou, com a atividade no último trimestre do ano vindo acima das expectativas.

“Nós entendemos que precisamos fazer essa normalização parcial em parte porque o juro de 2% estava dentro de um entendimento de um cenário que não ocorreu, por isso normalização parcial”, afirmou.

(Reportagem adicional de Patrícia Vilas Boas)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH2O1FY-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.