Economia

Falta de gasolina nos EUA melhora, mas algumas regiões ainda sofrem com escassez

Reuters
Reuters

16 de maio de 2021 - 15:51 - Atualizado em 16 de maio de 2021 - 15:51

Por Laila Kearney

(Reuters) – A escassez de gasolina que tem afetado a Costa Leste dos Estados Unidos ao longo da última semana melhorou modestamente neste domingo, com o maior oleoduto do país retomando operações normais depois de um ataque cibernético.

Apesar de a escassez ter sido aliviada em muitos Estados, pelo menos um terço dos postos de gasolina ficou sem combustível em Maryland, Virginia e Georgia, segundo a empresa de monitoramento GasBuddy.

Milhares de postos de gasolina secaram porque os suprimentos não chegaram e os motoristas temeram uma queda prolongada de tanques e galões.

Refinarias e distribuidores de combustível estão correndo para se recuperar antes do fim de semana do feriado do Memorial Day no final de maio, o início tradicional da alta demanda da temporada de verão.

“A Colonial Pipeline está enviando atualmente a taxas normais, com base nas indicações dos remetentes”, disse o porta-voz da empresa Eric Abercrombie por e-mail.

“Levará algum tempo para que a cadeia de suprimentos se recupere totalmente.”

Em Washington, 80% dos postos ainda estavam vazios, de acordo com a GasBuddy.

No geral, a escassez estava afetando 12.870 postos, de 13.450 no sábado e um pico de mais de 16.000, afirmou Patrick de Haan, chefe de análise de petróleo no GasBuddy, com motoristas reduzindo compras motivadas pelo medo de que acabe a gasolina e postos reabastecendo seus estoques.

A média nacional pelo galão sem chumbo regular cresceu levemente no domingo, a 3,044 dólares, em comparação com 3,042 dólares no dia anterior e 2,96 dólares uma semana atrás, segundo o American Automobile Association (AAA).

(Reportagem de Laila Kearney em Nova York)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.