Economia

Expectativa de nova ajuda nos EUA anima Bolsa

Estadão
Estadão Conteúdo

5 de agosto de 2020 - 11:27 - Atualizado em 5 de agosto de 2020 - 11:40

Sinais de que os EUA chegarão a um acordo sobre um novo plano de estímulo à economia animam o investidor local e permite recuperação na B3 após a queda da véspera. Esse é o sentimento que já reflete nas bolsas europeias e americanas. A promessa feita nesta quarta-feira pelo presidente norte-americano, Donald Trump, de corte de impostos em folha de pagamento no país também reforça o bom humor, o que pode equilibrar uma eventual avaliação negativa do dado de emprego informado nesta manhã. Porém, a falta de definição sobre qual imposto será criado pelo governo brasileiro, bem como a possibilidade de extensão do auxílio-emergencial até o fim do ano e de prorrogação do estado de calamidade pública até 2021 continuam gerando ruídos. Às 10h56, o Ibovespa subia 2,23%, aos 103.469,56 pontos.

Indícios de retomada da demanda, pelo menos do petróleo, levam investidores às compras na B3, o que pode ser reforçado principalmente no desempenho das ações da Petrobras. Os papéis lideram o ranking das maiores elevações do Ibovespa, fazendo-o a subir acima dos 103 mil pontos. No horário citado acima, Petrobras PN subia 6,47% e ON, 6,54%. Vale ON também ajudava, em elevação de 2,73%.

Enquanto isso, o investidor acompanha as palavras do ministro Paulo Guedes (Economia), na comissão mista da reforma tributária no Congresso. Há pouco, disse que não é ele quem tem de dizer quanto Estados e municípios têm de cobrar de tributos. Segundo ele, quem tem essa capacidade é o Legislativo. Guedes ainda falou que o Ministério apoia totalmente versão mais ampla de IVA, acoplado com os Estaduais. Segundo o ministro, o governo não vai aumentar impostos; não irá elevar a carga tributária.

De acordo com o ministro, o governo avalia a reformulação do auxílio emergencial de R$ 600 pagos mensalmente a trabalhadores desempregados e informais, além de beneficiários do Bolsa Família, durante a pandemia de covid-19. Já o presidente Jair Bolsonaro disse que não dá pra continuar ajuda muito porque custa R$ 50 bi ao mês.

Mesmo que o tema de criação de tributos gere desconfiança, a analista Sandra Peres, da Trademap, pondera que o fato de a reforma tributária estar avançando e estar endereçada para ocorrer este ano, é um bom sinal. “O que pode ocorrer é que as outras administrativa, por exemplo fiquem para depois, por causa da eleição municipal”, estima.

De todo modo, o exterior, observa, é que dita o rumo dos negócios, pelo menos por hora. “Tem a expectativa de que o novo pacote dos EUA seja definido nos próximos dias, saíram dados bons na Europa e na China e as commodities minério e petróleo sobem. E isso é ótimo para as ações da Vale e da Petrobras, e também para a Bolsa. A recuperação da economia chinesa acaba sendo bom para todos”, avalia.

Na avaliação de Sandra, a geração de emprego menor que a esperada no setor privado dos EUA (criou 167 mil postos ante previsão de 1 milhão) pode trazer algum incômodo, já que é um indicador bastante utilizado para as projeções do payroll, que é o relatório oficial do mercado de trabalho dos EUA, a ser informado na sexta-feira.

Entretanto, o estrategista-chefe do Grupo Laatus, Jefferson Laatus, pondera que o resultado aquém do esperado pode ser mais um fator a estimular o debate de urgência de aprovação do pacote de ajuda aos EUA. “O ruim pode ser até bom. Pode ser que democratas e republicanos corram para acelerar o pacote”, afirma.

Além disso, o estrategista afirma que o bom humor no mercado doméstico ainda reflete a expectativa de novo corte de 0,25 ponto porcentual na taxa Selic, para 2,00%, hoje no início da noite pelo Comitê de Política Monetária (Copom). “Há boas expectativas com o Copom. Com certeza, cortará 0,25 ponto mas o mercado está esperando mesmo se o Banco Central deixará a porta aberta por redução de mais 0,25”, diz.

O plano de ajuda dos EUA é considerado extremamente importante, no momento em que o país ainda registra novos casos de coronavírus. O próprio presidente norte-americano, Donald Trump, disse que os EUA podem ter uma segunda onda da covid-19, mas que uma vacina chegará antes do fim do ano porque ele “facilitou” o processo.

No corporativo, a Embraer informou prejuízo líquido de R$ 1,68 bilhão no segundo trimestre, após lucro em igual período do ano passado, e a Klabin, perda de R$ 383 milhões. Após reagir em baixa, as ações da fabricante de aeronaves subiam 0,94%, às 11h04, enquanto as da Klabin avançavam 3,02%, com investidores avaliando as palavras de seus respectivos executivos sobre os balanços.

“O ano de 2021 vai ser um ano difícil pela questão do mercado, não é uma característica da Embraer. Todo mundo está passando por diferimento de entrega. Esse diferimento começa a voltar depois de 2022 e 2023”, disse o diretor financeiro da Embraer, Antonio Carlos Garcia, durante teleconferência com jornalistas.

Vale lembrar que na terça o Ibovespa fechou em baixa de 1,57%, aos 101.215,87 pontos.