Economia

Empresa de energia argentinas aumentam preços pela 1a vez desde 2019

Reuters
Reuters

1 de maio de 2021 - 15:45 - Atualizado em 1 de maio de 2021 - 15:45

BUENOS AIRES (Reuters) – As principais empresas de distribuição de energia da Argentina, Edenor e Edesur, vão aumentar os preços da eletricidade em 9% na cidade de Buenos Aires e seus arredores, informou neste sábado regulador nacional, no primeiro aumento desde o congelamento de tarifas em 2019 ajudar a conter a inflação.

A Entidade Nacional de Regulação da Eletricidade (ENRE) afirmou em comunicado que o aumento de preços, a vigorar a partir de sábado, é necessário para “garantir a continuidade, acessibilidade e normalidade da prestação deste serviço público essencial”.

O governo argentino tem mantido os preços de energia congelados desde que assumiu em meio a alta inflação, que ainda está em uma taxa anual acima de 40%, o que pesa no crescimento do país e no poder de compra do consumidor.

“Desde dezembro de 2019, o governo da Frente de Todos tem priorizado a necessidade de reduzir o impacto das taxas sobre o poder de compra das famílias, empresas e indústrias, no contexto de uma emergência econômica, sanitária e energética”, disse o ENRE.

A questão dos preços da eletricidade causou tensões entre as empresas de serviços públicos e partes da coalizão governante, que queriam evitar um aumento nos preços em meio ao aumento dos níveis de pobreza no país.

(Reportagem de Lucila Sigal)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.