Economia

Empresa de e-commerce polonesa Allegro aquece o mercado de IPOs da Europa

Reuters
Reuters

12 de outubro de 2020 - 15:28 - Atualizado em 12 de outubro de 2020 - 15:28

Por Anna Banacka e Anna Koper

WARSAW/GDANSK (Reuters) – As ações do grupo polonês de e-commerce Allegro subiram mais de 60% em sua estreia, nesta segunda-feira, dando à empresa um valor de mercado de quase 19 bilhões de dólares na maior oferta pública inicial (IPO, em inglês) até agora este ano.

Fundado há mais de 20 anos como um adversário do eBay, a Allegro é a marca mais reconhecida de e-commerce da Europa central e seu site está atraindo 20 milhões de visitantes por mês, com consumidores comprando online durante a pandemia de Covid-19.

O início forte da Allegro no mercado financeiro foi similar ao desempenho de alguns IPOs recentes nos Estados Unidos, quando as ações subiram à medida em que investidores mostravam que estavam dispostos a pagar por empresas com potencial de crescimento.

Mês passado, a empresa de e-commerce britânica The Hut Group fez a maior estreia do mercado de ações de Londres em sete anos, e o lançamento de sucesso da Allegro foi mais um sinal de aquecimento do mercado europeu de IPOs.

No entanto, o apetite dos investidores parece estar reservado a empresas de tecnologia e crescimento – setores em que a Europa é “leve” em comparação com os EUA, onde vários IPOs notórios estrearam este ano.

“A pandemia sublinhou o valor do comércio online para os consumidores e acelerou a penetração do e-commerce”, afirmou Ivan Kim, analista da Xtellus Capital. “A Allegro tem uma posição bem estabelecida no mercado… e já é bem lucrativa”.

As ações da Allegro fecharam o dia em 70 zlotys (18 dólares), crescimento de 63% em relação ao preço do IPO, em 43 zlotys (11 dólares), que estava na parte superior da faixa de orientação.

A Allegro imediatamente se tornou a empresa mais valiosa da Bolsa de Varsóvia, que afirmou que a empresa substituiria o mBank, do Commerzbank, em seu índice de 20 maiores empresas, WIG20, após a sessão comercial de 14 de outubro.

(Reportagem de Anna Banacka em Gdansk, Alan Charlish e Anna Koper em Warsaw, Abhinav Ramnarayan em Londres e Arno Schuetze em Frankfurt)