Economia

Eletrobras diz que SEC pediu informação em investigação sobre empréstimo compulsório

Reuters
Reuters
Eletrobras diz que SEC pediu informação em investigação sobre empréstimo compulsório
Logotipo da Eletrobras visto em instalações da empresa no Rio de Janeiro

30 de abril de 2021 - 19:04 - Atualizado em 30 de abril de 2021 - 19:05

SÃO PAULO (Reuters) – A Eletrobras disse nesta sexta-feira que recebeu uma solicitação de informações da reguladora do mercado de capitais norte-americano, SEC, devido a uma investigação em andamento “sobre empréstimo compulsório e litígios correlatos” da estatal.

“A companhia está atualmente no processo de coleta da documentação a fim de responder a este pedido de informações e irá cooperar totalmente com a investigação”, afirmou a elétrica, em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários.

A Eletrobras disse que recebeu o pedido da SEC em 20 de abril, mas não forneceu mais detalhes.

Criado pelo governo brasileiro nos anos 60, o empréstimo compulsório foi uma cobrança junto a consumidores industriais que visou financiar a expansão do sistema elétrico, com promessa de posterior devolução.

Nos anos 80, o prazo para devolução dos recursos foi prorrogado e o governo definiu que a Eletrobras poderia antecipar a quitação convertendo créditos do empréstimo em ações.

A operação acabou rendendo uma série de dores de cabeça para a Eletrobras, que décadas depois ainda lida com ações judiciais e cobranças referentes ao tema, que também gera frequentes obrigações de provisão de recursos.

As disputas sobre o compulsório chegaram a levar alguns investidores estrangeiros a tentar mover uma ação coletiva contra a empresa brasileira, mas uma ação judicial relacionada ao tema foi rejeitada por um juiz em Nova York em fevereiro.

FORMULÁRIO 20F

A Eletrobras também disse nesta sexta-feira, em comunicado em separado, que atrasará o arquivamento de seu formulário 20F junto à SEC nos Estados Unidos, antes previsto para 30 de abril.

“O adiamento se deu em função da necessidade da companhia revisar suas demonstrações financeiras de 2019 e 2018 para refletir os cálculos atuariais relativos ao seu plano de aposentadoria”, afirmou.

A estatal acrescentou que “não acredita que os ajustes sejam relavantes”.

O prazo para entrega do 20F foi prorrogado para 15 de maio, acrescentou a empresa.

(Por Luciano Costa)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH3T1D7-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.