Economia

Economia do Reino unido mostra sinais de estabilização após novo lockdown

Reuters
Reuters
Economia do Reino unido mostra sinais de estabilização após novo lockdown
Cartaz informando que loja está fechada no Reino Unido

19 de fevereiro de 2021 - 09:53 - Atualizado em 19 de fevereiro de 2021 - 09:55

Por William Schomberg e David Milliken

LONDRES (Reuters) – A economia do Reino Unido se estabilizou após novo lockdown devido à Covid-19 no mês passado ter afetado os varejistas, e as empresas e consumidores estão esperançosos de que a campanha de vacinação do país levará a uma recuperação, mostraram dados nesta sexta-feira.

O Índice de Gerentes de Compras Composto preliminar do IHS Markit/CIPS sugere que a economia quase não encolheu na primeira metade de fevereiro uma vez que as empresas se ajustaram às restrições mais recentes.

Pesquisa separada sobre as famílias mostrou o nível mais alto de confiança dos consumidores desde que a pandemia começou.

A economia britânica sofreu o maior tombo em 300 anos em 2020, quando contraiu 10%, e vai encolher 4% nos três primeiros meses de 2021, prevê o Banco da Inglaterra.

Mas o banco central britânico espera uma forte recuperação subsequente devido ao programa de vacinação contra a Covid-19.

O primeiro-ministro, Boris Johnson, deve anunciar na segunda-feira os próximos passos do lockdown na Inglaterra, mas disse que qualquer alívio nas restrições será gradual.

Dados oficiais de janeiro destacaram o impacto do lockdown mais recente sobre os varejistas.

O volume de vendas no varejo caiu 8,2% na comparação com dezembro, muito mais do que o recuo de 2,5% esperado em pesquisa da Reuters com economistas e a segunda maior perda já registrada.

“A única coisa boa sobre o lockdown atual é que ele não é nem de perto tão ruim para a economia quanto o primeiro”, disse Paul Dales, economista da Capital Economics.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1I0TB-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.