Economia

Distribuidoras de energia fecham 2020 com sobra contratual por pandemia, diz CCEE

Reuters
Reuters
Distribuidoras de energia fecham 2020 com sobra contratual por pandemia, diz CCEE
Linha de distribuição de energia em Itu (SP)

18 de fevereiro de 2021 - 15:26 - Atualizado em 18 de fevereiro de 2021 - 15:30

SÃO PAULO (Reuters) – As distribuidoras que atuam no Brasil fecharam 2020 com sobras de energia contratada em relação à demanda de seus clientes, após fortes impactos da pandemia de coronavírus sobre o consumo, disse nesta quinta-feira a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Esses excedentes podem gerar custos para consumidores e para as empresas, uma vez que a legislação setorial permite que sejam repassados às tarifas os gastos das elétricas com eventuais sobrecontratações de até 105%.

“No encerramento do ano, as empresas contavam com um volume contratado de energia que correspondia a 109,1% da carga registrada no período”, disse a CCEE, em nota.

“De acordo com o levantamento, a contratação das empresas de distribuição só deve voltar a ficar abaixo dos volumes consumidos de energia em 2025”, acrescentou a CCEE, que prevê uma sobrecontratação de 105,1% neste ano, perto do limite regulatório.

O consumo de energia no Brasil chegou a despencar quase 12% em abril do ano passado, quando prefeituras e governos estaduais decretaram quarentenas para tentar conter a disseminação do vírus.

Atualmente, a demanda já voltou para os níveis pré-Covid, mas as empresas de distribuição ainda têm pleiteado junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) algumas compensações pelos efeitos da pandemia sobre o mercado.

A agência deve avaliar os pleitos das empresas caso a caso ao longo de 2021.

Em meio aos impactos iniciais da pandemia sobre o setor elétrico, os ministérios de Minas e Energia e da Economia costuraram empréstimos emergenciais de 16 bilhões de reais às distribuidoras de energia por meio de um grupo de bancos. A operação será quitada nos próximos cinco anos, com repasse dos custos do financiamento às tarifas.

(Por Luciano Costa)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1H1K0-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.