Economia

Coque atinge máxima de 11 semanas em Dalian com restrições regulatórias na China

Reuters
Reuters
Coque atinge máxima de 11 semanas em Dalian com restrições regulatórias na China
Estoque de carvão em usina de coque em Yuncheng, China

27 de julho de 2021 - 08:30 - Atualizado em 27 de julho de 2021 - 08:35

Por Enrico Dela Cruz

(Reuters) – Os contratos futuros do coque em Dalian avançaram pela terceira sessão consecutiva e atingiram uma máxima de 11 semanas nesta terça-feira, enquanto o carvão coque escalou uma nova máxima contratual, apoiado por preocupações com a oferta da matéria-prima siderúrgica na China, maior produtora de aço do mundo.

O contrato mais negociado do coque na bolsa de commodities de Dalian, para setembro, fechou em alta de 1,2%, a 2.863 iuanes (441,55 dólares) por tonelada, após tocar a marca de 2.910 iuanes, maior patamar desde 12 de maio.

O carvão metalúrgico subiu 0,1%, a 2.135 iuanes/tonelada, depois de bater uma máxima contratual de 2.190,50 iuanes.

A oferta doméstica de coque –que é utilizado como agente redutor no derretimendo do minério de ferro nos altos-fornos– ficou mais restrita, já que os produtores também foram afetados por regulamentações mais rígidas sobre emissões de carbono.

“Tanto oferta quanto demanda diminuíram… mas o balanço apertado ainda prossegue”, disseram analistas da Sinosteel Futures em nota, acrescentando que o aumento no preço do carvão coque também forneceu suporte às cotações do coque.

O minério de ferro negociado em Dalian cedeu 2,8%, enquanto os futuros da commodity em Cingapura recuavam cerca de 1%.

(Reportagem de Enrico Dela Cruz, em Manila)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH6Q0QC-BASEIMAGE