Economia

Copel avaliará dividendo extra após pedido do governo do Paraná

O Governo do Paraná manifestou intenção de vender ações que detém da Copel, embora ainda mantendo o controle acionário

Reuters
Reuters
Copel avaliará dividendo extra após pedido do governo do Paraná
Linhas de transmissão e distribuição de energia

8 de janeiro de 2021 - 20:19 - Atualizado em 8 de janeiro de 2021 - 20:20

SÃO PAULO (Reuters) – A estatal de energia Copel disse nesta sexta-feira que avaliará a distribuição de dividendos extraordinários após um pedido de seu controlador, o governo do Paraná, pela distribuição de proventos “no maior valor possível” em 2021.

Em comunicado divulgado junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Copel ainda disse que a administração estadual também manifestou intenção de vender ações que detém na companhia, embora ainda mantendo o controle acionário.

Os pleitos do Estado comandado pelo governador Ratinho Júnior (PSD) vieram após a Copel ter informado anteriormente que pretendia aprimorar sua governança corporativa ao mudar do Nível 1 de listagem na bolsa B3 para o Nível 2, que exige melhores práticas.

A companhia disse no comunicado que o governo condicionou seu apoio à migração da empresa à realização de uma oferta secundária na qual poderia vender papéis.

A gestão estadual também solicitou, “na preservação do interesse público”, que a estatal distribua dividendos extraordinários contra reservas de lucros “no maior valor possível, considerando as necessidades de caixa da companhia ao longo do exercício de 2021”.

A elétrica afirmou que a possibilidade de distribuição dos proventos conforme requisitado pelo Estado será avaliada por sua administração.

A Copel também disse que apresentará oportunamente uma proposta para migração ao Nível 2 de acordo com os requisitos do governo, de realização de uma oferta secundária de ações.

Essa operação ocorreria em conjunto com oferta que o braço de participações do BNDES, BNDESPar, pretende realizar para se desfazer de sua fatia na companhia, acrescentou a Copel, sem detalhar quantos papéis o governo estadual poderia colocar à venda.

O governo do Paraná detém 31,1% da Copel, com 58,6% das ações ordinárias, com direito a voto.

O BNDESPar, que anunciou em dezembro a contratação do BTG para vender suas ações na estatal, possui 24% da empresa, com 26,4% das ações ordinárias e 21,3% das preferenciais de classe B.

MOMENTO POSITIVO

O pedido do governo paranaense por mais dividendos vem em momento em que governadores enfrentam custos adicionais decorrentes de medidas contra a pandemia de coronavírus.

Mas o movimento também ocorre em meio a momento positivo para as finanças da Copel, que em novembro passado fechou a venda de sua unidade de telecomunicações por 2,395 bilhões de reais.

Logo depois da operação, fechada em leilão de privatização, o diretor financeiro da Copel, Adriano Rudek, disse que a companhia aproveitaria o momento para rever sua política de dividendos, que segundo ele teria “regras mais claras” e objetivas, “baseadas nas melhores práticas do mercado”.

A Copel registrou lucro líquido de 2,78 bilhões de reais no acumulado dos primeiros nove meses de 2020, ou 90% a mais que no mesmo período de 2019.

UNITS

Em paralelo, a Copel disse que o governo paranaense se manifestará favoravelmente em assembleia de acionistas sobre proposta da empresa de implementar um programa de certificado de depósito de ações (Units).

Os Units seriam compostos por cinco ações de emissão da empresa, sendo uma ordinária e quatro preferenciais de classe B.

Para formação de Units, seria permitida a conversão de ações ordinárias em preferenciais classe “B” e de ações preferenciais classe “B” em ordinárias, observado limite legal que não permite que as ações preferenciais excedam 2/3 do total.

A companhia ainda pretende promover um desdobramento de ações logo após a conversão e antes da emissão das Units, em proporção ainda a ser definida, “visando maximizar a liquidez” dos papéis.

(Por Luciano Costa)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH071F4-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.