Economia

Com aval de NY, Ibovespa avança em sessão de ajustes após feriado

Reuters
Reuters
Com aval de NY, Ibovespa avança em sessão de ajustes após feriado
Bolsa de valores de São Paulo

12 de julho de 2021 - 17:52 - Atualizado em 12 de julho de 2021 - 17:55

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) – O Ibovespa fechou em alta nesta segunda-feira, com blue chips como Vale, B3 e Bradesco entre os principais suportes, em sessão de ajustes após feriado e com novos recordes em Wall Street.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,73%, a 127.593,83 pontos. O volume financeiro somou 26,5 bilhões de reais.

Na visão do gestor de renda variável da Western Asset Cesar Mikail, o Ibovespa refletiu movimentos técnicos, de ajustes ao comportamento do mercado nos Estados Unidos e dos ADRs (American Depositary Receipt) de empresas brasileiras na sexta-feira.

No último dia 9, a bolsa paulista fechou em razão de feriado em São Paulo, enquanto o iShares MSCI Brazil ETF, considerado uma medida do desempenho do Ibovespa em dólar, subiu 1,3% no mercado norte-americano. Nesta sessão, avançou quase 2%.

Entre os ADRs brasileiros, o da Vale saltou 3% na última sexta-feira.

Além disso, acrescentou, a temporada de resultados corporativos nos EUA do segundo trimestre começa nesta semana, que se mostrar um começo positivo pode se refletir no S&P 500 e favorecer a bolsa brasileira.

No Brasil, a safra de balanços deve ganhar fôlego no final do mês. E um bom desempenho, na visão de Mikail, deve apoiar uma reprecificação no Ibovespa.

Em Wall Street, nesta segunda-feira, Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq Composite renovaram máximas históricas, impulsionados pelas ações da Tesla, tendo no radar a temporada de balanços e uma série de dados econômicos.

DESTAQUES

– VALE ON avançou 1,24%, com o setor de mineração e siderurgia como um todo com forte valorização, em meio à alta dos preços do minério de ferro e do aço na China. CSN ON saltou 6,17%.

– ITAÚ UNIBANCO PN e BRADESCO PN valorizavam-se 1,37% e 2,52%, respectivamente, tendo ainda de pano de fundo notícias sobre potenciais mudanças em medidas propostas pelo governo na segunda fase da reforma tributária.

– B3 ON fechou em alta 3,47%, em sessão de recuperação, após cair quase 4% nos primeiros pregões do mês.

– PETROBRAS PN subiu 0,87%, mesmo com o declínio dos preços do petróleo no mercado externo. No setor, PETRORIO ON recuou 0,72%.

– EMBRAER ON disparou 8,18% após informar que recebeu pedido firme para 30 jatos E195-E2 e direito de compra de mais 50 aeronaves do mesmo modelo da Porter Airlines. O pedido já fora divulgado em maio, com o anúncio desta segunda-feira incluindo os direitos de compra e o cliente.

– CVC BRASIL ON saltou 7,29%, buscando uma recuperação após alguma correção de baixa desde o final do mês passado. Apenas na última semana, a ação acumulou declínio de quase 6%. No ano, sobe cerca de 38%.

– COSAN ON valorizou-se 6%, tendo renovado máximas históricas, em meio a expectativas para a oferta inicial de ações da Raízen, joint venture da empresa com a Shell na área de distribuição de combustíveis e produção de açúcar e etanol. O IPO foi protocolado no começo do mês passado.

– JHSF ON subiu 4,91%, após reportar crescimento de 63,9% nas vendas contratadas no segmento de incorporação no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, para 556,8 milhões de reais.

– BANCO INTER UNIT valorizou-se 3,48%, após prévia operacional do segundo trimestre, quando atingiu 12 milhões de clientes, mais do que dobrando sua base ante o mesmo período do ano anterior.

– CARREFOUR ON caiu 1,06%, entre as poucas quedas do Ibovespa, ampliando as perdas desde que encostou em máximas históricas no mês passado. No setor, GPA ON encerrou com variação negativa de 0,03%.

– BK BRASIL ON, que não está no Ibovespa, avançou 7,92%, após a responsável pelas franquias das redes Burguer King e Popeyes no país fechar acordo para operar a Domino’s Pizza no Brasil.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH6B12D-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.