Economia

Cemig poderia buscar recursos em emissão primária, diz governo de Minas Gerais

Reuters
Reuters
Cemig poderia buscar recursos em emissão primária, diz governo de Minas Gerais
Logo da Cemig em painel na bolsa de valores de São Paulo

15 de janeiro de 2021 - 19:33 - Atualizado em 15 de janeiro de 2021 - 19:35

SÃO PAULO (Reuters) – A elétrica estatal Cemig, controlada pelo governo de Minas Gerais, precisa de recursos para cobrir necessidades bilionárias de investimento, e uma alternativa para levantar caixa seria uma oferta primária de ações, disse o secretário-geral da administração estadual, Mateus Simões.

O governador Romeu Zema (Partido Novo) já manifestou desejo de privatizar a Cemig, mas recentemente admitiu dificuldades políticas para levar a operação adiante no curto prazo.

“Conhecendo a necessidade de investimentos que se aproximam de 15 bilhões de reais, o que o governador tem afirmado é a necessidade de garantir esse aporte, que o Estado, como controlador, não tem condições de fazer”, disse o secretário Simões, em nota.

“Vender uma parte das ações do Estado não é uma solução, pois o dinheiro não iria para a Cemig. Buscar novos recursos numa emissão primária poderia ser uma solução, como vender o controle, como normalmente se cogita, também seria”, acrescentou ele.

Os comentários vêm após o governador Zema ter afirmado na véspera, em entrevista ao Valor Econômico, que a empresa precisaria de 15 bilhões de reais “para colocar num ponto adequado sua infraestrutura de transmissão e distribuição”.

Zema disse que, em meio ao aporte, o Estado poderia terminar com participação menor na Cemig. “É o que nós queremos. O importante é trazermos o investimento”, afirmou ele ao jornal.

Uma capitalização da empresa por meio da emissão de novas ações diluiria os atuais acionistas, como o governo mineiro, caso estes não acompanhem o aporte.

Questionado pela Reuters sobre a visão do governo em relação à Cemig, o secretário-geral da administração estadual disse que o objetivo é melhorar os serviços da companhia.

“O foco do Estado, no que se refere à Cemig, é garantir que toda pessoa ou empresa, em Minas, possa ter garantido acesso a energia de qualidade, com velocidade e disponibilidade de carga”, afirmou.

Procurada, a Cemig não comentou de imediato as declarações de Zema e do secretário Simões.

O governo de Minas Gerais possui participação de 17,5% na Cemig, mas controla a companhia com 50,97% das ações ordinárias, com direito a voto.

(Por Luciano Costa)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH0E1LT-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.