Economia

Bolsas da Europa fecham em alta após dados de empregos nos EUA

Estadão
Estadão Conteúdo

2 de julho de 2020 - 14:23 - Atualizado em 2 de julho de 2020 - 14:23

As bolsas da Europa fecharam o pregão desta quinta-feira, 2, em alta, após uma criação de empregos nos Estados Unidos acima do previsto em junho, segundo dados divulgados nesta mesma data. O aumento de novos casos de covid-19 em Estados americanos, no entanto, continua no radar e pode levar a um atraso na retomada econômica, alertam analistas.

Com o otimismo que prevaleceu nos mercados internacionais, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou com ganhos de 1,97%, a 368,29 pontos.

“Os mercados europeus estão excedendo os ganhos dos EUA nas negociações de meio-dia em Londres”, comentaram analistas da LPL Financial antes do fechamento das praças europeias. O bom humor do mercado foi fortalecido pela divulgação do relatório de empregos (payroll) americano, que mostrou criação de 4,8 milhões de postos de trabalho nos EUA em junho, acima da expectativa do mercado.

Para analistas do Danske Bank, no entanto, o payroll é “notícia velha”. “O desenvolvimento negativo do vírus nos EUA levou a mais bloqueios locais e pode implicar um revés no consumo e, consequentemente, no emprego em julho”, diz o banco. Segundo a Universidade Johns Hopkins, na quarta-feira o país registrou mais de 50 mil novas infecções por coronavírus.

Analista da BK Asset Management, Boris Schlossberg afirmou no início do pregão que havia ainda entusiasmo com avanços em testes para uma potencial vacina contra a covid-19 anunciados na quarta.

Indicadores da Europa também foram monitorados. O desemprego na zona do euro, por exemplo, subiu a 7,4% em maio. Já o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) do bloco caiu 0,6% em maio ante abril.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 avançou 1,34%, a 6.240,36 pontos. A Associated British Foods registrou alta de 4,15%, após informar que o volume de negócios na reabertura de suas lojas foi positivo.

Em Frankfurt, o índice DAX subiu 2,84%, a 12.608,46 pontos. As ações da Daimler ganharam 4,60% e as da Continental, 4,51%, mas os papéis da Wirecard, que enfrenta um processo de insolvência, recuaram 35,42%.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 ganhou 2,49%, a 5.049,38 pontos. Asa ações do Société Générale subiram 5,50% e as do BNP Paribas, 5,43%.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE MIB fechou em alta de 2,88%, a 19.886,88 pontos. Em Madri, o índice IBEX 35 subiu 3,75%, para 7.498,60 pontos. Em Lisboa, o PSI 20 avançou 1,79%, a 4.429,03 pontos.