Economia

Auxílio emergencial deve continuar até dezembro, promete Bolsonaro

Segundo Jair Bolsonaro, o auxílio emergencial não será R$ 600, mas também não será R$ 200. A ideia é prorrogar até dezembro para ajudar a economia.

Lucas
Lucas Sarzi
Auxílio emergencial deve continuar até dezembro, promete Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro em Brasília

29 de agosto de 2020 - 13:04 - Atualizado em 29 de agosto de 2020 - 13:04

Embora sem valor definido ainda, o auxílio emergencial deve continuar até dezembro. A informação foi divulgada pelo presidente Jair Bolsonaro, na manhã deste sábado (29). A ideia é permitir que a economia volte à normalidade.

Segundo Bolsonaro, o valor não vai ser o mesmo atual, de R$ 600. O presidente passou a semana em reuniões com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e suspendeu uma proposta dele mesmo que deixava o auxílio emergencial abaixo de R$ 300.

Não será R$ 600, mas também não será R$ 200. Pretendemos prorrogá-lo até o final do ano e com isso fazer com que a economia volte à normalidade“, disse Bolsonaro, em discurso em Caldas Novas (GO), onde inaugurou uma usina de energia solar.

Segundo o presidente, o custo do auxílio é de R$ 50 bilhões mensais. “O auxílio é pouco para quem recebe e muito para quem paga“. Apesar disso, Bolsonaro disse entender que Brasil passa por “restrições orçamentárias bastante sérias”.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.