Economia

Atividade fabril nos EUA desacelera em fevereiro, mas problemas de oferta elevam preços–IHS Markit

Reuters
Reuters
Atividade fabril nos EUA desacelera em fevereiro, mas problemas de oferta elevam preços–IHS Markit
Mask production in California

19 de fevereiro de 2021 - 12:03 - Atualizado em 19 de fevereiro de 2021 - 12:05

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) – A atividade fabril nos Estados Unidos desacelerou no início de fevereiro, provavelmente com uma escassez global de chips semicondutores afetando a produção nas fábricas de automóveis, enquanto os preços dos insumos e de produtos manufaturados dispararam, o que pode aumentar temores de forte aumento da inflação neste ano.

A empresa de dados IHS Markit informou nesta sexta-feira que seu PMI do setor manufatureiro dos EUA caiu para 58,5 na primeira metade deste mês, de uma leitura final de 59,2 em janeiro. O clima extremo em grande parte dos Estados Unidos também foi citado como razão para a queda do índice.

O dado veio em linha com as projeções de economistas, com leitura acima de 50 indicando crescimento da manufatura, que responde por 11,9% da economia norte-americana. O setor avançou à medida que a pandemia de Covid-19 deixou norte-americanos presos em casa, transferindo a demanda para bens domésticos em detrimento de serviços como viagens aéreas e hospedagem em hotéis.

Mas o coronavírus interrompeu o trabalho de fornecedores e fabricantes, levando à escassez de produtos essenciais para os processos de produção. Os fabricantes de veículos automotores foram atingidos pela escassez de chips semicondutores, o que levou alguns a fechar temporariamente as plantas neste mês.

A medida de preços pagos pelos fabricantes da pesquisa do IHS Markit atingiu seu nível mais alto desde abril de 2011. Os fabricantes também estão repassando custos mais altos aos consumidores. O indicador da pesquisa para preços recebidos pelas fábricas alcançou o nível mais alto desde julho de 2008.

Enquanto a expansão da manufatura esfriou, a atividade na indústria de serviços ganhou impulso neste mês. A leitura preliminar da atividade do setor de serviços em fevereiro subiu para 58,9, de uma leitura final de 58,3 em janeiro.

O número mais alto desde março de 2015 veio com a queda das novas infecções e taxas de hospitalização por Covid-19, permitindo às autoridades reverter algumas restrições sobre restaurantes e outras empresas voltadas para o consumidor.

O setor de serviços, que responde por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA, foi o que mais sofreu com a pandemia.

A melhora das condições no setor de serviços ajudou a apoiar a atividade empresarial geral neste mês.

O índice PMI composto, que acompanha os setores de manufatura e serviços, subiu para 58,8 no dado preliminar deste mês, ante leitura final de 58,7 em janeiro.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1I0ZQ-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.