Economia

Atividade empresarial nos EUA esfria mais em julho–IHS Markit

Reuters
Reuters
Atividade empresarial nos EUA esfria mais em julho–IHS Markit
Pessoas fazem compras em feira de rua perto do Times Square em Nova York, EUA

23 de julho de 2021 - 11:04 - Atualizado em 23 de julho de 2021 - 11:05

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) – A atividade empresarial nos Estados Unidos cresceu em um ritmo moderado pelo segundo mês consecutivo em julho, em meio a restrições de oferta, sugerindo um arrefecimento na atividade econômica após o que se espera ter sido um segundo trimestre robusto.

A empresa de dados IHS Markit informou nesta sexta-feira que a leitura preliminar de seu índice PMI composto, que rastreia os setores de manufatura e serviços, caiu para uma mínima em quatro meses de 59,7, de 63,7 em junho. Leitura acima de 50 indica crescimento do setor privado.

As empresas estão lutando contra a escassez de matérias-primas e mão de obra, o que está aumentando a inflação na esteira da reabertura da economia após severas interrupções causadas pela pandemia de Covid-19.

Os números da pesquisa estão em linha com visões de economistas de que o crescimento arrefecerá após uma aceleração no segundo trimestre, graças a um grande estímulo fiscal.

Mesmo com o estímulo do dinheiro do governo em declínio, a economia continua sustentada por uma forte demanda, com as famílias acumulando pelo menos 2,5 trilhões de dólares em poupança excedente durante a pandemia. A recuperação do mercado de trabalho também está ganhando força e os salários estão subindo à medida que as empresas competem por trabalhadores.

Mas a variante Delta do coronavírus, que está por trás do ressurgimento de novas infecções por Covid-19 em partes do país com baixas taxas de vacinação, pode resultar em consumidores mais cautelosos.

“Embora o segundo trimestre possa representar um pico no ritmo de crescimento econômico de acordo com o PMI, o terceiro trimestre ainda parece encorajadoramente forte”, disse Chris Williamson, economista-chefe de negócios da IHS Markit.

“As questões de capacidade de curto prazo continuam sendo uma preocupação, limitando a produção em muitas empresas do setor de manufatura e serviços, ao mesmo tempo que pressionam os preços para cima à medida que a demanda excede a oferta.”

O governo dos EUA deve publicar sua primeira estimativa do PIB do segundo trimestre na próxima quinta-feira. As estimativas de crescimento estão convergindo para uma taxa anualizada de 9,0%. A economia expandiu 6,4% no primeiro trimestre.

A leitura preliminar do PMI do setor de serviços na pesquisa da IHS Markit caiu para 59,8, de 64,6 em junho, desacelerando ainda mais em relação ao recorde de maio. Economistas ouvidos pela Reuters previam leitura de 64,8 neste mês para o setor de serviços, que responde por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA.

As empresas que relataram uma desaceleração na atividade citaram escassez de mão de obra e dificuldades para adquirir estoques. De acordo com a pesquisa, algumas empresas relataram hesitação do cliente devido a aumentos significativos nos preços de venda. As empresas estão repassando aos consumidores os custos de produção mais elevados decorrentes da escassez de matérias-primas e trabalhadores.

O governo informou na semana passada que os preços ao consumidor tiveram em junho a maior alta em 13 anos, enquanto os preços ao produtor aceleraram.

Há, no entanto, sinais de que a inflação está perto do pico. A medida da pesquisa de preços pagos por empresas de serviços caiu para 72,1, de uma leitura de 74,2 em junho.

Enquanto a atividade do setor de serviços está esfriando, a manufatura continua avançando. O PMI preliminar do setor manufatureiro na pesquisa subiu para uma máxima recorde de 63,1, de 62,1 em junho. Economistas previam que o índice do setor, que responde por 11,9% da economia, cairia para 62.

Uma medida de novos pedidos recebidos pelas fábricas aumentou, e os fabricantes relataram que o trabalho inacabado continuou a se acumular, mesmo com o aumento das contratações. Fornecedores continuaram a lutar para entregar os insumos no prazo.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH6M0SO-BASEIMAGE