Antonio Carlos
Investimentos e Algo Mais

Por Antonio Carlos

Economia
Antonio Carlos

Fundamental preparo para o imprevisto e o indesejado

Ter uma apólice de seguro é ter algo que minimize o impacto de algo imprevisto. Um gasto doloroso no papel mas uma ótima solução na crise.

Fundamental preparo para o imprevisto e o indesejado

14 de setembro de 2020 - 21:00 - Atualizado em 15 de setembro de 2020 - 17:10

Segurança Financeira é algo que 10 entre 10 pessoas buscam. Mas o que ela representa e como é encontrada dependerá muito de quem a procura. Nesse texto quero abordá-la do ponto de vista risco. Ou seja, coisas que podem acontecer contigo e consequentemente comprometer a sua segurança ou daqueles que dependem financeiramente de você.

Se você tem que trabalhar para pagar suas despesas e construir seu patrimônio, você é seu primeiro dependente financeiro. E ainda, se além das suas contas você tem filhos, cônjuge, pais entre outros que dependem de você e assim continuarão por um bom tempo, esses são os demais dependentes.

Os riscos que você está exposto são risco de morte, risco de invalidez permanente, risco de saúde e risco profissional e empresarial. Todos esses riscos podem comprometer sua segurança, atrapalhar seus planos e ainda dilapidar seu patrimônio formado e em formação. É fundamental que você esteja ciente de todos eles. Que você mensure seus impactos e que tenha estruturas que, na ocorrência do problema, ajude você a minimizar ou até neutralizar isso.

Se você é pai / mãe tenho certeza que quer proporcionar ao seu filho a melhor formação. Que ele tenha acesso as melhores escolas, uma boa alimentação, possa viajar, se divertir, ter presentes e principalmente, quer poder passar a ele seus valores morais e pessoais. Quer educá-lo e transformá-lo em um grande e seguro cidadão. Apto a competir na vida e superar seus desafios.

E mais, você tem planos seus. Para sua vida. Ter independência hoje de outros, mesmo que a custa do seu trabalho é algo gratificante. Algo conquistado. Celebrado.

Diante dessas necessidades e objetivos há um produto que pode ajudá-lo a estar preparado para boa parte dessas questões. Óbvio que a sua ausência nunca será recompensada, por dinheiro algum. Mas as necessidades e tranquilidades podem ser atendidas.

Vamos falar um pouco de como considerar os riscos e mensurar as coberturas:

RISCO DE MORTE: em caso de um falecimento prematuro e caso ainda não tenha um patrimônio ativo, aquele que gera renda (alugueis / aplicações financeiras / etc.) é fundamental ter uma apólice de seguro que antecipe o patrimônio que em vida formaria. Algo que proporcione aos seus dependentes valores financeiros suficientes para que seus planos, ou parte deles, sejam realizados. Desde a alimentação e educação até sonhos. Tudo dependerá de quanto você pretende cobrir. Pode considerar eventuais estruturas como INSS para considerar renda mensal. E ainda, essa necessidade pode ser temporária, apenas enquanto há dependentes e/ou o patrimônio está sendo formado. E independente do tipo de morte, natural ou acidental, a necessidade será a mesma. O tempo que o capital deverá “durar”, pode ser por exemplo 3, 5, 10 ou 20 anos, geralmente um tempo que seus dependentes precisem para se estruturarem e organizarem a fim de estabelecer sua própria sobrevivência;

RISCO DE INVALIDEZ PERMANENTE: nesse caso além do valor necessário aos seus dependentes, considerando o cálculo anterior, tem a sua necessidade. Então essa cobertura na maior parte das vezes poderá e deverá ser maior. Pode considerar a invalidez por acidente e por doença como riscos a serem cobertos. É fundamental que isso garanta um capital suficiente para pelo menos 3 anos de necessidades. Podemos ainda destacar a invalidez temporária, caso não tenha reservas de emergência, que correspondem a 6 meses das despesas;

RISCO DE SAÚDE: essa cobertura é conhecida como Plano de Saúde e Seguro Saúde. Muitas pessoas acabam não contratando isso, mas caso fiquem doentes ou ainda um familiar necessite de atendimento médico, por vezes deseja não depender exclusivamente do SUS. Bancar um tratamento particular, dependendo da complexidade, é praticamente impossível para a maioria das famílias.

RISCO PROFISSIONAL E EMPRESARIAL: essa é a cobertura para eventuais questões civis que envolvam sua atividade, profissional e empresarial. Muitas vezes questões podem ser debatidas judicialmente e levar a compromissos e encargos financeiros que, se não protegidos, o impacto no patrimônio será considerável. Mensurar e quantificar esses riscos é fundamental.

Enfim, mais do que pensar em comprar uma apólice de seguros, pagar por um papel, pense em buscar estruturas que caso ocorram imprevistos sua segurança financeira e atendimento as necessidades estarão garantidos. Ter segurança financeira pode também ser entendida como ter o dinheiro certo na hora incerta.

É a vida!