Economia

Airbus diz que deve parar de queimar caixa no 4° tri

Reuters
Reuters
Airbus diz que deve parar de queimar caixa no 4° tri
(Blank Headline Received)

29 de outubro de 2020 - 12:25 - Atualizado em 29 de outubro de 2020 - 12:30

Por Tim Hepher

PARIS (Reuters) – A Airbus disse nesta quinta-feira que esperava parar de consumir caixa no quarto trimestre, dando aos investidores o primeiro vislumbre de um caminho para o fim da crise, após a empresa acelerar as entregas para companhias aéreas.

A fabricante de aviões disse que a primeira meta formal desde a suspensão de sua previsão anual em abril permanecia intacta depois que a França anunciou um novo lockdown nacional na quarta-feira.

O presidente-executivo, Guillaume Faury, disse que a Airbus aprendeu muito sobre como se adaptar durante os sete meses de crise.

Mas ele também alertou que o tráfego aéreo está demorando mais do que o esperado para se recuperar do impacto dramático visto no início da pandemia, quando as companhias aéreas foram forçadas a suspender os voos.

“Acreditamos que teremos que conviver com a circulação do vírus por um longo período”, disse Faury.

As ações da Airbus operavam com volatilidade, conforme as preocupações relacionadas à pandemia disputavam a atenção com uma previsão de caixa otimista e lucro operacional melhor do que o esperado, que excluiu um encargo de reestruturação de 1,2 bilhão de euros.

O lucro operacional do terceiro trimestre caiu 49%, para 820 milhões de euros, enquanto a receita caiu 27% para 11,2 bilhões, superando as previsões do mercado sobre o lucro, mas ficando abaixo na das receitas.

A Airbus aumentou as entregas, em parte, fechando acordos com companhias aéreas para guardar as aeronaves enquanto não podem colocá-las diretamente em serviço. Mas algumas fontes da indústria disseram que um novo lockdown na França levantou novas questões sobre sua capacidade de entregar jatos sem novos problemas.

A companhia não anunciou novas metas de entregas, mas pessoas que acompanham o cronograma dizem que a Airbus parece ter como objetivo algo entre 500 e 550 entregas de aeronaves em 2020, ante 863 em 2019.

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG9S1GS-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.