Economia

Aeroportos do Paraná são arrematados pela Companhia de Participações em Concessões em leilão

A Companhia de Participações em Concessões arrematou os aeroportos do Bloco Sul com oferta de outorga de R$ 2,128 bilhões

Daniela
Daniela Borsuk
Aeroportos do Paraná são arrematados pela Companhia de Participações em Concessões em leilão
Aeroporto Internacional Afonso Pena - Curitiba - PR Foto: Geraldo Bubniak/AEN

7 de abril de 2021 - 11:48 - Atualizado em 7 de abril de 2021 - 12:14

Na manhã desta quarta-feira (7), foi realizado o leilão de 22 aeroportos do Brasil, quatro deles do Paraná, na sede da B3, em São Paulo. A Companhia de Participações em Concessões arrematou os aeroportos do Bloco Sul com oferta de outorga de R$ 2,128 bilhões, ante valor mínimo de R$ 130,2 milhões, com ágil de 1.534,36% em relação ao lance mínimo. O tempo de concessão para a iniciativa privada é de 30 anos.

O Bloco Sul é formado pelos aeroportos de Curitiba, Foz do Iguaçu (PR), Londrina (PR), Navegantes (SC), Joinville (SC), Bacacheri (PR), Pelotas (RS), Uruguaiana (RS) e Bagé (RS). O Bloco Central é composto pelos aeroportos de Goiânia, São Luís, Imperatriz (MA), Teresina, Palmas e Petrolina (PE). Fazem parte do Bloco Norte os aeroportos de Manaus, Tabatinga (AM), Tefé (AM), Porto Velho, Rio Branco, Cruzeiro do Sul (AC), e Boa Vista.

Participaram da disputa pelos aeroportos do Bloco Sul as empresas Aena Desarrollo Internacional e a Infraestrutura Brasil Holding. Além de levar a concessão do Bloco Sul, a Companhia de Participações em Concessões também arrematou o Bloco Central, formado pelos aeroportos de Goiânia/GO, São Luís/MA, Teresina/PI, Palmas/TO, Petrolina/PE e Imperatriz/MA. A oferta foi de R$ 754 milhões.

A empresa ganhadora da disputa pelo Bloco Norte foi a Vinci Airports, com oferta de R$ 420 milhões. Fazem parte deste bloco os aeroportos de Manaus/AM, Porto Velho/RO, Rio Branco/AC, Cruzeiro do Sul/AC, Tabatinga/AM, Tefé/AM e Boa Vista/RR.

Atualização

O leilão dos aeroportos foi promovido pelo Ministério da Infraestrutura (MInfra), por meio da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a arrecadação total em outorgas chegou a R$ 3,3 bilhões.

“Começamos a nossa Infra Week com o pé direito e isso tem que ser celebrado. As vitórias têm de ser celebradas. Temos um desafio importante pela frente. Vamos superar a pandemia e temos o desafio da geração de emprego. O emprego vai vir pela mão do investimento privado, não há outra alternativa porque temos que seguir a nossa trajetória de responsabilidade fiscal, nosso compromisso com a solvência”.

afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, no fim do leilão.

Ratinho Junior, governador do Paraná, esteve presente no evento e afirmou que o processo do leilão foi um sucesso. Os aeroportos do Bacacheri, em Curitiba, Afonso Pena, em São José dos Pinhais, de Londrina e de Foz do Iguaçu participaram do leilão.

“Um sucesso! A princípio, o valor era de R$ 130 milhões de lance, fechou este leilão com mais de R$ 2,100 bilhões, um investimento fantástico aonde praticamente 70% deste investimento vai ficar nos aeroportos do Estado do Paraná. E com um detalhe, o aeroporto Afonso Pena, nosso grande sonho para o desenvolvimento do turismo e o desenvolvimento econômico do Paraná, vai ter a terceira pista com voos internacionais para os Estados Unidos e para a Europa”.

Ressaltou Ratinho Junior.

Veja a fala do governador na íntegra:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.