Economia

Acordo de dívida da Argentina deve ter alto apoio de credores e pouca resistência

Reuters
Reuters
Acordo de dívida da Argentina deve ter alto apoio de credores e pouca resistência
Casa Rosada, em Buenos Aires

31 de agosto de 2020 - 10:40 - Atualizado em 31 de agosto de 2020 - 10:45

BUENOS AIRES (Reuters) – O acordo de reestruturação da dívida da Argentina deve receber enorme apoio dos credores quando o governo divulgar os resultados da licitação nesta segunda-feira, embora haja dúvidas sobre duas séries de títulos individuais que podem ter ficado aquém do esperado.

O governo apresentará o resultado do acordo na tarde desta segunda-feira, depois que meses de negociações tensas, prazos prorrogados e modificações em sua oferta ajudaram a Argentina a chegar a um acordo com a maioria dos credores.

A Reuters informou na sexta-feira, prazo final do acordo, que o governo estava confiante no alto apoio dos credores.

Um acordo forte é a chave para a Argentina — a terceira maior economia da América Latina e uma grande produtora de grãos — sair da inadimplência e reanimar uma economia que está em seu terceiro ano de recessão e deve recuar cerca de 12,5% este ano.

A possibilidade de que cláusulas de ação coletiva não sejam alcançadas em alguns títulos aumenta a possibilidade de resistência dos credores, embora não se espere que essas cláusulas representem uma parte significativa do montante total da dívida ou afetem o acordo mais amplo.

(Por Adam Jourdan e Walter Bianchi)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG7U107-BASEIMAGE