Economia

Economia pode perder até R$ 170 bi depois de denúncias contra Temer

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

27 de maio de 2017 - 00:00 - Atualizado em 27 de maio de 2017 - 00:00

Os primeiros indicadores da redução das expectativas são os impactos financeiros registrados em uma semana depois da divulgação das denúncias da JBS (Foto: Reprodução/Getty Images)

Agências de classificação de risco marcaram queda de potencial do Brasil para investimentos

Especialistas esperam que economia brasileira perca de R$ 25 bilhões a R$ 170 bilhões depois das denúncias feitas contra o presidente Michel Temer, segundo o jornal O Estado de S. Paulo. O valor é em comparação ao esperado antes da crise política instaurada no Brasil.

Investidores internacionais veem o país, neste contexto, como um local arriscado para aplicar seu dinheiro. O CDS (Credit Default Swap), espécie de seguro de crédito contra calotes, chegou a subir mais de 30% nos momentos de maior alta.

A S&P (Standard & Poor’s), agência de classificação de risco, já colocou o Brasil em estado de observação, sendo que o País pode ser rebaixado no ranking. Isso significa que a confiabilidade para investir no Brasil diminuiu. A agência Moody’s também mudou a classificação do rating brasileiro, que passou de “estável” para “negativo”.

Os primeiros indicadores da redução das expectativas são os impactos financeiros registrados em uma semana depois das denúncias. A Economática afirma que as empresas brasileiras perderam R$ 161 milhões em valor de mercado. As companhias que tinham dívidas em dólar viram o valor aumentar consideravelmente. Esses números sinalizam um impacto direto no PIB. 

Veja também:

Senado aprova Medida Provisória que permite saques do FGTS

Álvaro Dias diz existem dois lados dentro de uma crise política

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.