Notícias

Donos de casa de repouso clandestina são presos por maus tratos a idosos

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

5 de fevereiro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 5 de fevereiro de 2019 - 00:00

De acordo com o Ministério Público, a casa já havia sido notificada em outubro último, mas, voltou a funcionar de maneira irregular. Imagem:Nilson Machado

Além de sofrerem violência e estarem desnutridos, os idosos eram mantidos em ambiente com higiene precária e tinham aparência de doentes.

Dois responsáveis e um funcionário de uma casa de repouso que funcionava clandestinamente em Araucária, região metropolitana de Curitiba, foram presos na última sexta-feira (1).

Não havia nenhuma identificação da casa de repouso no local

A casa de repouso clandestina funcionava sem qualquer identificação nos fundos de um estabelecimento comercial. No local viviam nove pessoas, sendo sete delas, idosas e as outras duas com deficiência.

Além de sofrerem violência e estarem desnutridos, os idosos eram mantidos em ambiente com higiene precária e tinham aparência de doentes.

Após a interdição do Ministério Público, todos foram encaminhados para o Hospital Municipal de Araucária para tratamento.

De acordo com Carlos Alberto de Andrade, Secretário de Saúde de Araucária, a assistência social vai tratar do caso e conversar com os familiares dos idosos. “Alguns serão encaminhados para algumas casas conveniadas à Secretaria de Assistência Social do Município, que de fato, estão regularizadas para atendê-los de forma humana e com o carinho como eles merecem”, afirma.

Casa de repouso já tinha sido interditada

De acordo com o Ministério Público, a casa já havia sido notificada em outubro último, mas, voltou a funcionar de maneira irregular.

A promotora Juliana Golçalves Krause, disse que o Ministério Público recebeu um ofício da Vigilância Sanitária de Araucária noticiando que a instituição havia sido interditada por eles, mas que a ordem não tinha sido cumprida e o estabelecimento continuava funcionando. “Esse ofício foi encaminhado para nós agora, em janeiro. Foi quando, na sexta-feira, acompanhando a equipe da Secretaria de Assistência Social do Município, fomos até o local averiguar e constatamos que eles estavam, sim, descumprindo a ordem de interdição e estavam em funcionamento”, explica.

De acordo com o Ministério Público, o três vão responder perante a justiça pelos maus tratos aos idosos e também poderão ser indiciados por formação de quadrilha. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.