Notícias

Diferenças entre as epidemias: Coronavírus e H1N1

O H1N1 teve um maior efeito letal em crianças de até 2 anos e principalmente gestantes, enquanto a COVID-19 atinge mais idosos e pessoas com doenças crônicas.

Larissa
Larissa especial e exclusivo para o RIC Mais
Diferenças entre as epidemias: Coronavírus e H1N1

27 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 27 de abril de 2020 - 00:00

Desde o início da pandemia, o novo Coronavírus vem sendo comparado à outras gripes. Mas, diferente das gripes mais comuns e já conhecidas, as estatísticas apontam que o vírus causador da doença COVID-19 é mais letal e contagiosa que as demais

Infelizmente ainda não temos vacinas e nem medicamentos capazes de conter a doença, e o vírus continua se espalhando pelo mundo. Comparado com a epidemia de 2009, causada pelo H1N1, os números de contágios pelo novo Coronavírus cresceram muito mais rápido nos primeiros 30 dias, explicando a pandemia causada. 

O que torna a COVID-19 mais grave que o H1N1?

A resposta para essa pergunta é simples: o contágio. O novo Coronavírus apresenta um maior número de infectados com a doença, quando comparado à epidemia de 2009, causada pelo H1N1. Por isso, medidas como o isolamento social se faz necessária para evitar o crescimento exponencial do vírus. 

A comparação entre os grupos de risco das duas epidemias também são diferentes. O H1N1 teve um maior efeito letal em crianças de até 2 anos e principalmente gestantes, enquanto a COVID-19 atinge mais idosos e pessoas com doenças crônicas.

Mas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) começou a considerar em meados de março que a doença causada pelo novo Coronavírus também pode acometer crianças

Outro fator que deve ser destacado, é que durante a pandemia da Influenza H1N1, medidas como a quarentena e o fechamento de escolas e comércios não foram aplicadas como forma de conter a doença. 

Rede de saúde

Desde a epidemia de 2009 os leitos não foram aplicados devido à falta de recursos disponíveis para esse investimento. Agora, essa demanda se mostra urgente, principalmente pelo fato de que a população envelheceu e o número de doenças aumentou nos últimos anos

Cuidados

Como o vírus é novo e o conhecimento acerca dele ainda é baixo comparado a outros quadros epidemiológicos, é preciso ter cautela. Enquanto os pesquisadores correm atrás de trazer soluções, como vacinas e tratamentos para curar a doença, precisamos fazer a nossa parte. 

É importante seguir as orientações passadas pela Organização Mundial da Saúde e pelo Ministério da saúde como formas de prevenir e evitar a propagação da doença.

Sintomas Coronavírus

  • Febre
  • Tosse
  • Dificuldade de respirar
  • Coriza
  • Dor de garganta
  • Diarreia

Sintomas H1N1

  • Febre alta
  • Dor muscular
  • Irritação nos olhos
  • Tosse
  • Coriza
  • Cansaço
  • Vômito
  • Diarreia