Notícias

Hospital erra diagnóstico onze vezes e criança morre nos braços da mãe

Menina de três anos foi diagnosticada todas as vezes com constipação infantil, porém, morreu de câncer raro

Guilherme
Guilherme Becker / Editor
Hospital erra diagnóstico onze vezes e criança morre nos braços da mãe
A pequena morreu após diagnósticos errados apontaram para outro tratamento (FOTO: REPRODUÇÃO/ REDES SOCIAIS)

11 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 11 de setembro de 2019 - 00:00

Uma criança, de apenas três anos, morreu nos braços da mãe após ter o diagnóstico errado por onze vezes, em um hospital do Reino Unido. A garotinha havia sido diagnosticada com constipação infantil, quando a pessoa tem dificuldade para evacuar. Entretanto, na décima segunda visita ao hospital foi descoberto um câncer raro e Aoife Flanagan Gibb morreu cinco dias depois.  

Após a morte da filha, Eilish Flanagan iniciou um trabalho para aumentar a conscientização e gerar renda para ajudar crianças com o mesmo problema de Aoife.

diagnostico errado

(FOTO: REPRODUÇÃO/ REDES SOCIAIS)

Criança tem diagnóstico errado e morre de câncer raro

A mãe de Aoife chegou a levar a filha onze vezes para consultar problemas que a criança vinha apresentando. Mas, os diagnósticos sempre apontaram para constipação infantil. Os médicos então indicaram que a mulher incentivasse mais a garotinha a praticar exercícios físicos.

A família chegou a adquirir um cavalo para a menina cavalgar. Entretanto, os diagnósticos estavam errados. Invés de constipação, a garota tinha um câncer raro de estômago. O resultado veio após a décima segunda visita ao hospital e cinco dias depois a criança morreu.

diagnostico errado

(FOTO: REPRODUÇÃO/ REDES SOCIAIS)

“Foi completamente inesperado, ela teve uma parada cardíaca enorme. Eu a segurei porque sabia que algo estava errado. Foi então que ela morreu em meus braços. Eu estava pesquisando sobre o câncer de células germinativas. É raro, mas muito real, pode acontecer com qualquer pessoa”, relatou Eilish ao jornal The Mirror.

Entre os relatos, os médicos do hospital Southend chegaram a questionar se a mãe estava alimentando a criança corretamente. Indignada com toda a situação, a mulher agora luta para ajudar a salvar outras vidas. 

“Sua vida neste planeta não poderia ser apenas isso. Precisávamos fazer algo pelas outras crianças. Eu estava pesquisando sobre o câncer de células e percebi que ele é raro, mas ocorre. Eu doei parte de seus órgãos, tecidos e tumores aos médicos. Para que possamos aprender a dar mais chances a outras crianças. Não poderia ser em vão”, declarou Eilish ao The Mirror.

Ao lembrar da filha, Elish sempre se emociona. A mãe contou ainda que a lembrança que fica da menina é uma criança alegre, divertida e bastante aventureira. Aoife ainda era apaixonada pela personagem Elsa, da animação Frozen, e uma palavra para defini-la seria gentil.

(FOTO: REPRODUÇÃO/ REDES SOCIAIS)