Notícias

Jornalista desabafa após noticiar prisão da filha: “Não tem coisa pior no mundo”

A mulher de 30 anos sofre de dependência química e foi presa após participar de um assalto; entenda!

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Jornalista desabafa após noticiar prisão da filha: “Não tem coisa pior no mundo”
O jornalista conversou sobre a dependência química da filha. (Foto: Reprodução/Luciano Chinasso)

19 de julho de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:36

Uma postagem sobre a dependência química da filha, feita pelo jornalista Daniel Pinheiro no Facebook, emocionou quem segue o comunicador nas redes sociais. Na publicação, ele contou que a mulher foi presa por cometer um assalto em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, durante a madrugada desta quarta-feira (17). Nesta sexta-feira (19), ele conversou com exclusividade com a RICTV Curitiba | Record PR e contou que a família vem enfrentando uma batalha desde que a filha passou a usar drogas. (Assista entrevista completa abaixo)

Conforme Pinheiro, a filha, hoje com 30 anos, é dependente química e, por isso, cometeu o crime junto com outras três pessoas. “Não tem coisa pior no mundo, não tem dor pior no mundo do que a gente tá passando. A minha filha, aquela nenenzinha que eu carreguei no colo, eu tô perdendo pros traficantes. Os bandidos tão tomando conta da nossa sociedade”, disse.

Postagem sobre dependência química

O jornalista explicou que achou sua obrigação falar sobre o assunto, já que ele costuma noticiar matérias policias em seu site de notícias. “Venho através do meio de comunicação dar uma satisfação ao meu público a minha filha foi presa ontem de madrugada ela e mais quatro elementos ela estava dirigindo o carro aonde os mesmos estavam cometendo assalto. A minha filha está fazendo tratamento psiquiátrico está usando drogas”, ele escreveu na legenda. Veja o vídeo no qual ele fala sobre a dependência química da filha: 

Tratamento de dependência química fornecido está longe do ideal 

Durante a conversa, emocionado, o jornalista também criticou a falta de políticas públicas que tratem o problema da dependência química com seriedade, a falta de tratamentos que apresentem resultados efetivos e o preconceito da sociedade com os dependentes.  “O pai e a mãe sofrem, a família toda fica doente. Eu tô doente. Agora, enquanto eu tô dando essa entrevista pra você aqui, tem pai, tem mãe buscando seus filhos nas biqueira. E tem muita gente que critica, falando tem que matar, tem que morrer. Não, tem que ter ajuda dos nossos governantes. Minha filha tava fazendo tratamento no CAPs [Centros de Atenção Psicossocial], o que que ela fez nesse CAPs, ela ia lá ficava umas horinhas sentada, enchendo linguiça e voltava embora. Então, se tivesse um atendimento digno, respeitoso pro cidadão de bem. Hoje essas pessoas são vistas como lixo da sociedade”, desabafou. 

Pai pede perdão para vítimas da filha 

Pinheiro reconhece que a filha dependente química está errada, mas pede que as pessoas entendam a sua posição. “Pra você mãe, pra você pai, que naquela noite que a minha filha assaltou o seu filho, eu quero que você pelo menos se coloque no meu lugar e perdoe a minha filha”. 

Ele também lembrou que ouviu uma pessoa dizendo que sua filha deveria morrer por ter cometido o crime. Aos prantos, o jornalista, finalizou dizendo que é pai e que nunca irá desistir de sua filha. “Eu dou a minha vida pela minha filha. É o bem mais precioso que Deus deu pra gente. Não sei se você é pai? [perguntou ao jornalista] O que você faria pelo seu filho?”. 

Dependente química continua presa

A filha de Pinheiro permanece detida na Delegacia da Polícia Civil de Piraquara. De acordo com o delegado Antonio Macedo de Campos Junior, ela foi autuada por roubo e pode estar envolvida com outros crimes. “Ela foi autuada por roubo. Ela, mais uma moça, uma menina menor e dois rapazes. Elas já foram reconhecidas por outras vítimas, em outras situações, em outros roubos”, explicou. 

Assista à reportagem completa:

O Balanço Geral Curitiba foi até o jornalista de Piraquara.