Inova Mais

Cyberbullying: quando vira caso de polícia?

Para que seja considerado cyberbullying, tudo isso deve acontecer da tecnologia e internet e pode incluir, ainda, envio de mensagens intrusas, adulteração de imagens e divulgação de dados pessoais. 

Larissa
Larissa
Cyberbullying: quando vira caso de polícia?

7 de fevereiro de 2020 - 00:00 - Atualizado em 15 de setembro de 2020 - 07:16

O cyberbullying é uma prática abusiva em que uma pessoa é alvo de outras, ou seja, sofre bullying, no ambiente da internet. Isso pode acontecer de diversas formas e pode trazer consequências gravíssimas para quem é vítima dos ataques.

Ele pode vir por meio de ataque:

  • verbal: insultos, xingamentos, apelidos pejorativos, julgamentos;
  • social: isolamento proposital, discriminação;
  • moral: boatos, difamações, calúnias, mentiras;
  • sexual: assédio, abuso, envio de fotos sem consentimento, indução a atos sexuais;
  • psicológico: (ameaça, terror, perseguição, intimidação, chantagem, dominação. perseguir, amedrontar, aterrorizar, intimidar, dominar, manipular, chantagear e infernizar).

Para que seja considerado cyberbullying, tudo isso deve acontecer por meio da tecnologia, principalmente da internet, e pode incluir, ainda, envio de mensagens intrusas, adulteração de imagens e divulgação de dados pessoais.

Quando é caso de polícia

De acordo com o Código Penal, os artigos 138, 139, 140, 146, 147 e 307 são crimes contra a hora e pode ser enquadrado como cyberbullying quando acontece por meio da tecnologia. Por isso, denunciar é sempre importante, ainda que haja dúvidas a respeito do que a lei considera abuso e ataque.

Criminosos podem pegar de um mês a três anos de cadeia. Caso se trate de alguém com menos de 18 anos, os pais ou responsáveis podem ser condenados a arcar com indenização por danos morais à vítima.

Para denunciar, uma das opções é comparecer a uma Delegacia de Delitos Cometidos por Meios Eletrônicos (DIG/DEIC), que já existe em Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo.

Como prevenir o cyberbullying

Para combater o cyberbullying, o ideal é combater a prática do bullying, que aponta as diferenças e dissemina o ódio entre as pessoas.

Se for identificado algo relacionado a escola dos filhos, o ideal é ter uma conversa franca com a diretoria para que todos cheguem a uma solução. Se não houver retorno da escola, então os pais devem comparecer à delegacia.

Também é importante ficar atento ao que é exposto na internet e evitar falar com desconhecidos. Redes sociais como Facebook, Twitter e Instagram já disponibilizam formas de denúncia e podem evitar o assédio virtual.

Se você for vítima de cyberbullying, não deixe de colher provas contra o agressor. Podem ser prints, e-mails, mensagens e testemunhas que tenham recebido algo em seu nome ou sobre você.

 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.