Coronavírus

Prefeitura de Curitiba confirma primeira morte por covid-19 na capital

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Prefeitura de Curitiba confirma primeira morte por covid-19 na capital

6 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:49

A primeira morte por covid-19 em Curitiba foi confirmada pela secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, na manhã desta segunda-feira (6). Se trata de uma mulher de 56 anos que estava internada desde o dia 29 de março e faleceu nesta madrugada.

De acordo com Marion Burger, médica infectologista da secretaria, a vítima apresentava várias doenças crônicas graves como diabetes, dislipidemia, anemia, hipotireoidismo, entre outros. Ela estava entre os casos graves monitorados pelo setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde.

A mulher retornou de São Paulo no dia 22 de março e os sintomas de infecção pelo novo coronavírus iniciaram cerca uma semana depois. No dia 29, ela deu entrada numa Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e precisou ser transferida, no mesmo dia, para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital.

Conforme Huçulak, a mulher vivia com a filha e com o namorado da jovem, ambos estão sendo monitorados pela Prefeitura. Além disso, o funeral será restrito como medita para impedir a aglomeração de pessoas e a disseminação da doença.

Até sábado (4), Curitiba tinha 162 moradores com resultados positivos para covid-19, 156 suspeitos, 649 descartados. Do total de confirmados, 45 estão internados, 12 em estado grave.

Saúde pede que população use máscaras de pano

Durante a coletiva de imprensa, Burger ressaltou que a rede municipal de saúde ainda não sofre com a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s). No entanto, com a busca mundial pelos produtos, a preocupação é com os próximos meses. Ela ainda solicitou que a população em geral opte pelo uso de máscaras de pano para que não faltem as cirúrgicas para os profissionais de saúde.

“Não temos faltas de EPI’s na rede municipal de atendimento. É preciso que os profissionais usam com racionalidade. O problema do EPI é mundial. Os Estados Unidos estão sequestrando os EPIs. Estamos repondo, mas nossa preocupação é com o futuro. Nós vamos lançar uma campanha hoje para que as pessoas usem máscaras de pano, e deixem as cirúrgicas para os profissionais de saúde. Quem tiver em casa, que leve para os profissionais de saúde”, disse a médica infectologista. 

Ainda conforme a secretária, Curitiba tem 165 Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) preparadas para receber apenas pacientes com covid-19.

Distanciamento social

A importância de manter o distanciamento social em Curitiba também foi reforçada na entrevista.

“Não temos como colocar um guarda na frente de todo mundo. É o isolamento é extremamente importante. Nós sabemos que os idosos precisam de tratamento para diabetes, para hipertensão, mas é preciso tomar cuidado, manter o isolamento, usar a máscara. Caso não tenha necessidade de sair, não saia. O tamanho da necessidade de leitos da UTI vai depender da colaboração da população. Podemos ter problemas no futuro, podemos. É uma pandemia que desafia governo em todo mundo. Não sabemos o que vamos encontrar. Em Curitiba estamos fazendo todos os esforços possíveis. Nós temos 6 cenários, do mais otimista ao pessimista, mas não vem ao caso. Precisamos da contribuição da população, do isolamento social”, declarou a secretária municipal de saúde.