Notícias

Em Curitiba, escola de inglês fecha as portas e deixa centenas de alunos no prejuízo

Cerca de 30 professores também não receberam os salários referentes ao mês de março

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Em Curitiba, escola de inglês fecha as portas e deixa centenas de alunos no prejuízo
Alunos se reúnem em frente ao Instituto Buchman. (Foto: Vanessa Werner)

17 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:46

Alunos e funcionários do Instituto Buchman de Curitiba se reuniram em frente ao prédio da escola de idiomas, no bairro Água Verde, nesta sexta-feira (17) para protestar contra os danos financeiros causados pelo fechamento sem aviso prévio do local.  

Enquanto vários estudantes pagaram por cursos que agora não existem mais, os professores também estão sem receber seus salários. O Instituto Buchman avisou sobre a decisão de encerrar as atividades por falta de fluxo financeiro nesta quinta-feira (16), por e-mail.  

Alunos

Um grupo formado no Facebook para colocar em contato todos os estudantes prejudicados já reuniu mais de 250 pessoas. Juntos, os participantes elaboraram uma planilha e calcularam até o momento mais de R$ 107 mil de prejuízo coletivo.  

Vanessa Werner conta que escolheu o Instituto Buchman porque havia ouvido falar que o método de ensino era muito bom e mesmo se tratando de uma escola onde os preços são considerados altos, ela decidiu que o investimento valia a pena. “Eu paguei a vista R$ 2.148 em fevereiro para fazer um curso de 70h. A aula começou em março, a primeira foi presencial, mas logo veio o decreto de distanciamento social e passamos a ter aulas online”, explica.

curitiba-escola-ingles-fecha-centenas-alunos-prejuizo

A polícia foi chamada porque os manifestantes estavam em frente à escola de inglês. (Foto: Reprodução)

No entanto, o susto foi grande quando ela e os colegas receberam um e-mail dos professores que avisava sobre a situação:

“Eu assisti 20h só. Aí, soubemos pelos professores. Não houve qualquer contato da administração ou dos donos da Buchmann para avisar os alunos do fechamento”, completa. 

Professores sem salário 

Na mensagem, assinada por cerca de 30 docentes, eles contam que seus salários referentes ao mês de março ainda não foram pagos e que após inúmeras tentativas de obter uma resposta do departamento financeiro, finalmente, nesta quinta-feira (16), receberam um e-mail da instituição.

curitiba-escola-ingles-fecha-centenas-alunos-prejuizo

E-mail enviado pela escola Buchman aos professores. (Foto: Reprodução)

“Os professores estão sem pagamento da Buchman desde o mês passado, eu particularmente, já não havia recebido parte de fevereiro. Aí, a escola não respondia, todos os professores tentando entrar em contato com a gerência, com o financeiro, mas todo mundo postergar e enrolava”, ressalta o professor Rafael Jares.

Jares pontua que desde agosto de 2019, os atrasos nos proventos mensais eram constantes, mas os professores não imaginavam que o proprietário do local pudesse simplesmente fechar as portas. 

“Eles vinham atrasando os salários desde o ano passado, mas eles nunca abriram nada para os funcionários. A gente desconfiou que havia algo errado porque no final do ano passado, o padrão da escola começou a cair, por exemplo, eles serviam jantar para os aluno e pararam de servir, tinha café, eles pararam de servir, vários funcionários foram sendo desligados aos poucos, mas eles nunca deixaram nada claro”, diz. 

O que diz a escola

Em nota, a administração do Buchman Institute atribuiu à pandemia do novo coronavírus a motivação para a decisão de fechamento e declarou que os bens da empresa serão vendidos para o pagamento de funcionários e alunos. Leia na íntegra: 

“É com grande pesar que a Buchman Institute encerra suas atividades, que se tornaram inviáveis em função do atual cenário de pandemia devido ao novo coronavírus (Covid-19).

Os bens da empresa estão sendo destinados para o pagamento dos funcionários e acerto com alunos.”