Internacionais

Crise na Venezuela: negociações para reabertura da fronteira avançam

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

28 de fevereiro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 28 de fevereiro de 2019 - 00:00

No encontro, eles conversaram sobre tratativas comerciais que possibilitem abastecer as cidades fronteiriças de Pacaraima e Santa Elena de Uairén (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Venezuelanos)

O Brasil precisa da reabertura para importar do país vizinho calcário e energia, por exemplo; já a população da Venezuela necessita de produtos como alimentos e medicamentos

As negociações entre as autoridades do Brasil e da Venezuela evoluem no esforço de reabertura da fronteira entre os dois países, fechada desde sexta-feira (22). O governador de Roraima, Antonio Denarium, reuniu-se ontem (27) com o governador do estado de Bolívar, Justo Nogueira Pietri, para discutir o tema.

Abertura da fronteira 

No encontro, eles conversaram sobre tratativas comerciais que possibilitem abastecer as cidades fronteiriças de Pacaraima e Santa Elena de Uairén. Ambos demonstraram preocupação com o desabastecimento de produtos básicos para as duas regiões.

O Brasil precisa da reabertura para importar do país vizinho calcário e energia, por exemplo. Já a população da Venezuela necessita de produtos como alimentos e medicamentos, escassos devido ao fechamento da fronteira – medida anunciada pelo presidente do país, Nicolás Maduro. Desde então, houve momentos de confrontos e violência na região, registrando inclusive mortos e feridos.

“As cidades de Pacaraima e Santa Elena necessitam uma da outra para se manter. Diante da atual situação, solicitamos a abertura da fronteira para que as relações comerciais ocorram com normalidade”, ressaltou Denarium.

Compra de suprimentos

O governador Justo Nogueira destacou a importância do diálogo com o governo de Roraima “para facilitar as compras de suprimentos por meio de empresários brasileiros”. A reabertura da fronteira depende da decisão do governo central da Venezuela.

Pelos dados do Itamaraty, vivem na Venezuela, em diferentes cidades, cerca de 11,8 mil brasileiros. Nem todos têm interesse de retornar ao Brasil, pois muitos têm dupla nacionalidade e preferem ficar em território venezuelano. Um grupo de cerca de 100 brasileiros foi autorizado a deixar a região de Santa Elena e a voltar para o Brasil.

Bolsonaro se encontra com Guaidó

Nesta quinta-feira (28), o autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, será recebido no Brasil pelo presidente Jair Bolsonaro. A reunião, confirmada pelo porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, ocorrerá no Palácio do Planalto, às 14h. Apesar de o Brasil reconhecer Guaidó como presidente interino da Venezuela, o encontro não será tratado como uma visita de Estado.

Encontro entre Trump e Maduro

O chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza, pediu nesta quarta-feira (27) em pronunciamento no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), em Genebra, que seja marcada uma reunião entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e Nicolás Maduro, para buscar uma saída para a crise que assola o país sul-americano. As informações são do jornal venezuelano El Universal.

Semana de conflitos

O último fim de semana foi marcado por conflitos envolvendo uma operação humanitária impulsionada pela oposição a Maduro com o apoio dos Estados Unidos. O governo venezuelano bloqueou a entrada dos caminhões no país com a justificativa de que os veículos envolveriam preparativos para uma intervenção militar em seu território. Houve confrontos nas fronteiras com a Colômbia e com o Brasil, que resultaram em mortos e feridos.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.