Internacionais

Criança que lutava contra o câncer morre após encontrar ursinho perdido

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

23 de fevereiro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 23 de fevereiro de 2019 - 00:00

Menino morre ao lado de ursinho de pelúcia na Inglaterra. (Foto: Reprodução/Emily Feduchin-Pate)

O menino de 4 anos costumava levar o brinquedo durante as terapias; o ursinho possuía inclusive uma máscara de radioterapia igual a do pequeno paciente

Atticus Feduchin-Pate, 4 anos, lutava contra um tumor incurável no cérebro desde 2018 e costumava levar seu ursinho de pelúcia em todos os procedimentos hospitalares até o dia em que o perdeu. Após uma campanha na internet, o brinquedo foi encontrado e a criança morreu abraçada nele no dia 15 de fevereiro.

O caso comovente ocorreu em Hampshire, na Inglaterra, e vem causando lágrimas por todo o mundo desde que viralizou nas redes sociais.

A doença

Segundo Emily Feduchin-Pate, mãe do menino, ele foi diagnosticado com a doença em julho de 2018. E costumava levar o ursinho de pelúcia, chamado Boeuf, que o acompanhava desde um ano de idade, durante todo o tratamento. Nos hospitais por quais Atticus passava, médicos e enfermeiras já estavam acostumados com a presença do brinquedo e faziam de tudo para que o pequeno paciente se sentisse mais seguro. Inclusive, permitir a entrada do menino com o ursinho nas salas de terapias e confeccionar uma máscara de radioterapia para o brinquedo igual a Atticus.

Os amigos possuíam uma máscara de radioterapia igual. (Foto: GoFundMe)

Perda do ursinho

A família jantava em um restaurante próximo ao Hospital da Universidade de Londres, onde ele realizava o tratamento, quando o urso foi perdido. Depois que Emily percebeu que o urso não estava no hospital, ela disse a Atticus que ele tinha “ido em uma pequena aventura”, mas a criança chorou até dormir.

Boeuf sempre acompanhou Atticus desde um ano de vida. (Foto: GoFundMe)

Seus pais, então, iniciaram uma campanha nas redes sociais para localizá-lo com a #findboeuf. A história tomou tanta proporção que o país todo acompanhava a busca pelo brinquedo até que, finalmente, no dia 7 de fevereiro ele foi encontrado por uma mulher chamada Sharon, cujo filho também está recebendo tratamento no mesmo hospital. De acordo com a mãe, ao reencontrar Boeuf, Atticus o abraçou fortemente.

Juntos novamente

Conforme o site The Sun, a criança iniciou novas sessões de radioterapia três dias antes de perder a vida. Como sua saúde se deteriorou rapidamente, foi tomada a decisão de interromper o tratamento. Na quinta-feira (15), sua mãe então comunicou sobre o ocorrido por sua conta na rede social:

“Infelizmente, Atticus faleceu nas primeiras horas da manhã de quinta-feira. Felizmente foi muito pacífico, ele estava muito cansado e adormeceu e simplesmente não acordou. Tanto Blaize quanto eu estávamos ao lado dele e ele estava abraçando Boeuf. Parece que o tumor progrediu rapidamente e centrou-se em seu sistema respiratório, então sua respiração tornou-se difícil e depois simplesmente parou. Estamos aliviados por ele ter se deteriorado rapidamente porque não teve medo, não sofreu, não sentiu dor e não suportou uma longa e prolongada morte. Obviamente, foi um choque, pois esperávamos que a radioterapia nos desse mais tempo, mas, honestamente, tivemos sete meses de qualidade que valorizamos. Para pensar sete meses atrás, tivemos um menino feliz, em forma e saudável, com todo o seu futuro à sua frente, e agora estamos planejando seu funeral. Nenhuma família deveria ter que suportar isso, e se pudermos ajudar a levantar fundos para a pesquisa, faremos tudo o que pudermos. E graças a Deus que encontramos Boeuf na semana anterior para que ele pudesse morrer com sua melhor amiga”, dizia o post de Emily.

O pequeno Atticus antes de ter a doença rara diagnosticada. (Foto: GoFundMe)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.