Notícias

Criança de 11 anos é encontrada morta com sinais de abuso sexual; cunhado de 17 foi apreendido

Rapaz é casado com irmã da vítima, que tem 14 anos e está grávida de nove meses

Guilherme
Guilherme Becker / Editor
Criança de 11 anos é encontrada morta com sinais de abuso sexual; cunhado de 17 foi apreendido
(Foto: Reprodução)

14 de julho de 2021 - 11:53 - Atualizado em 14 de julho de 2021 - 11:54

Um adolescente de 17 anos foi apreendido nesta segunda-feira (12) após confessar que matou a cunhada, de apenas 11 anos. O crime aconteceu no dia 20 de junho e o corpo foi encontrado dois dias depois, em um canavial, em Rio Largo, na região metropolitana de Maceió. 

O rapaz, que confessou o crime à polícia, é casado com a irmã de Ingrid Raíssa, que tem 14 anos e está grávida de nove meses. Logo após investigação da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), os relatos foram encaminhados para a Justiça de Rio Largo, que deferiu representação pela internação do acusado.

“O adolescente se encontra apreendido na Unidade de Internação Masculina da capital do estado”,

contou o delegado Ronilson Medeiros ao portal RIC Mais.
ingrid raissa
Vítima foi dada como desaparecida (Foto: Divulgação)

Crime contra criança

Ainda de acordo com o delegado Medeiros, que coordena a operação, os trabalhos se concentraram em três linhas de investigação.

“Uma apontando o ex-cunhado, que teria presenteado a criança com um aparelho celular, outra seria um vizinho, que teria o costume de estar na casa da família, e o terceiro seria o atual cunhado. Foi coletada amostra genética dos três suspeitos para comparação com material encontrado no corpo da vítima […] Na última segunda-feira os três suspeitos foram inquiridos e foi verificado que os dois primeiros (ex-cunhado e vizinho) estavam trabalhando. Não teria como terem participado do crime, aumentando as possibilidades do terceiro indivíduo”,

contou Medeiros.

O adolescente de 17 anos foi interrogado e após os policiais comentarem sobre a coleta do material genético, e também que o Instituto Médico Legal havia confirmado violência sexual no corpo da vítima, o rapaz confessou o crime, mas negou o estupro.

Segundo o suspeito, no momento em que ele e Ingrid Raissa saíram para comprar alimentos para uma arara, ela teria tentado assediá-lo e ele não gostou.

“Na presença do seu tio, ele confessou o crime. Alegou que teria matado a criança em virtude da mesma ter tentado assediá-lo. O suspeito alegou que em um momento de fúria bateu com a cabeça da vítima em uma pedra, onde a mesma entrou em óbito”,

comentou Medeiros.

A mãe da vítima já havia desconfiado do suspeito, pois no dia do crime ele não estava em casa e quando retornou, utilizava uma roupa diferente. “Na investigação foi verificado que no dia do desaparecimento o atual cunhado da criança não estava no momento do desaparecimento e ele teria chegado na residência com uma outra roupa (que não seria dele) e com os pés sujos de lama”, detalhou o delegado.

Diante das investigações, a Justiça determinou a apreensão do suspeito. A família de Ingrid Raissa está bastante abalada, segundo a equipe de investigação.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.