Notícias

Criança de nove anos morre após ser atacada por seis pitbulls

Com os tiros, dois cães acabaram mortos

Renata
Renata Nicolli Nasrala / Editora

26 de dezembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 26 de dezembro de 2019 - 00:00

Uma criança de nove anos morreu após ser atacada por seis pitbulls na zona sul de São Paulo (SP), nesta quarta-feira de Natal (25).

De acordo com a Polícia Militar (PM), o menino teria pulado o muro para buscar uma pipa quando a tragédia aconteceu.

Criança morre atacada por pitbulls; imagens mostram desespero de testemunhas

Nas imagens gravadas por testemunhas, muitas pessoas aparecem aos gritos logo depois do menino pular o muro e ser atacado.

Conforme relato dos familiares da vítima, no começo da tarde o menino e os amigos brincavam de pipa em um parque ao lao de uma garagem desativada de ônibus, quando a pipa se soltou e foi parar no terreno onde estavam os cães.

Para pegar o brinquedo, o garoto pulou o muro do local, e logo foi atacado pelos animais. De acordo com uma testemunha, a criança ainda tentou voltar, mas já era tarde demais.

“Ele foi pegar uma pipa, e os cachorros estavam lá, e ele viu os cachorros, tentou voltar, mas um deles puxou ele de volta”.

No local da tragédia, pessoas que estavam na rua aparecem em vídeos desesperadas, e nas imagens é possível ver a tentativa de jogarem pedras para afastar os animais. 

Homem que tentou salvar a criança também acabou ferido pelos animais

Um homem que passava no local ainda tentou socorrer a criança, mas não conseguiu. Ele foi atacado e encaminhado a um hospital da zona sul da cidade.

Além disso, o Batalhão de Polícia foi acionado, e os agentes ainda tentaram atirar nos cães, mas o menino já estava morto.

Com os tiros, dois cães acabaram mortos.

Conforme Rita de Cássia, mãe da vítima, o filho nem chegou a almoçar no Natal. “Ele tomou um refrigerante e passou do meu lado com a sacola de pipa”.

A irmã do garoto, que trocou algumas palavras com ele antes de sua morte, afirmou que ele só falou que tava feliz porque ia viajar. “Ele ia pro Rio de Janeiro com a minha mãe, foi a última coisa que falei com ele”, finalizou em lágrimas.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.