Coronavírus

Teste rápido de farmácia pode gerar falso negativo para coronavírus

Atualmente existem dois tipos de testes para detectar se uma pessoa foi infectada pelo novo coronavírus; entenda a diferença!

Renata
Renata Nicolli Nasrala / Editora com informações da Prefeitura de Curitiba
Teste rápido de farmácia pode gerar falso negativo para coronavírus

26 de novembro de 2020 - 13:55 - Atualizado em 26 de novembro de 2020 - 13:55

O teste rápido de farmácia para coronavírus feito por amostra de sangue não é recomendado para identificar positividade na fase ativa da covid-19, segundo o Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba.

De acordo com Alcides de Oliveira, diretor do Centro, a fase ativa da covid-19 é justamente o período em que as pessoas contaminadas devem ficar em isolamento para não propagarem a doença, e o teste indicado para detectar na fase ativa é o RT-PCR por amostra respiratória.

Teste rápido de farmácia são apropriados para quem já teve o contato com o vírus

Os testes sorológicos, como os de farmácia, são apropriados para saber se uma pessoa já teve contato com o vírus e não se ela está infectada no momento do teste.

“O ideal é que esses testes com amostras de sangue sejam feitos 14 dias após o início dos sintomas. Antes disso, pode gerar um falso negativo mesmo se a pessoa estiver contaminada e o risco dela sair transmitindo o vírus é muito grande”, alerta Alcides de Oliveira.

Atualmente existem dois tipos de testes para detectar se uma pessoa foi infectada pelo novo coronavírus:

  • molecular
  • sorológico

O teste molecular (RT-PCR) é feito em uma amostra respiratória do nariz ou garganta do paciente e analisada em laboratório de biologia molecular, podendo indicar ou descartar a presença do vírus no momento do teste. O PCR precisa ser coletado no tempo certo, entre o 3º e o 6º dia de sintomas da covid-19.

“O PCR é o mais indicado para pacientes que apresentam sinais clínicos da covid, como febre, dor de garganta, tosse seca, alteração de olfato e paladar nos sete primeiros dias de sintomas”, diz Alcides Oliveira.

O sorológico (que pode ser rápido) é feito em amostras de sangue coletadas em clínicas, laboratórios e em farmácias. Esses testes detectam a presença de anticorpos para combater a covid-19.

Os testes sorológicos geralmente medem dois anticorpos, que são as defesas produzidas pelo organismo contra o vírus:

  • IgM
  • IgG

O IgM é o primeiro anticorpo que o organismo produz para combater o novo coronavírus. Como a chance de falso positivo para esse reagente é alta, o resultado só será computado nos dados estatísticos quando vierem acompanhado de quadro clínico associado (sintomas da doença), ou no caso de ter havido contato com pessoas com covid-19 confirmada. 

O IgG é produzido a partir do 10º dia da doença, permanecendo no organismo por um longo período de tempo. O resultado reagente do IgG significa que a infecção provavelmente aconteceu há mais de duas semanas, portanto, será computado simultaneamente entre os casos confirmados e recuperados.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.