Coronavírus

Professores do Paraná decidem que não retornarão com aulas presenciais em 2020

Professores da rede pública de ensino do Paraná decidiram neste sábado (12), em assembleia virtual da APP-Sindicato, decretar uma greve diante da possibilidade de retorno às aulas presenciais no estado em 2020

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações da APP-Sindicato
Professores do Paraná decidem que não retornarão com aulas presenciais em 2020
(Foto: Agência Brasil)

13 de setembro de 2020 - 11:23 - Atualizado em 13 de setembro de 2020 - 11:23

Professores da rede pública de ensino do Paraná decidiram neste sábado (12), em assembleia virtual, decretar uma greve diante da possibilidade de retorno às aulas presenciais no estado em 2020.

A assembleia foi realizada pela APP-Sindicato, entidade que representa professores e funcionários da rede pública do Paraná. Mais de 2,7 mil profissionais que trabalham na educação pública do estado participaram.

Chamada de “greve em defesa da vida”, os docentes não se sentem seguros para voltar às salas de aula em meio a pandemia do novo coronavírus. Os professores permanecem atuando no trabalho remoto.

O presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão, explica que a paralisação será desencadeada caso o governo decida pelo retorno das aulas nas escolas em 2020. “A categoria está mobilizada e não aceitará qualquer imposição que coloque em risco à vida tanto dos estudantes e seus familiares, quanto dos profissionais que trabalham nas escolas”, disse.

Retorno às aulas no Paraná

Na última quinta-feira (10), o Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério Público do Paraná (MPPR) divulgaram uma nota conjunta se manifestando contra a volta às aulas no Paraná.

Os órgãos avaliam o retorno das atividades neste momento como “precipitado e de elevado risco”, apontando a necessidade de se aperfeiçoar o protocolo de retomada.

“As decisões do gestor público em relação à pandemia atual devem sempre estar baseadas em critérios técnico-científicos e jamais se divorciar dos princípios da prevenção e precaução”, diz o manifesto.

No estado, desde 20 de março, 1 milhão de estudantes da rede pública de ensino estão longe das escolas por causa da pandemia do novo coronavírus.

Escolas particulares

A partir da desta segunda-feira, 14 de setembro, algumas escolas da rede particular de ensino devem retomar as atividades extra curriculares, como aulas de esporte e idiomas.

A afirmação é da presidente do Sindicato da Escolas Particulares do Paraná (Sinepe), Ester Cristina Pereira, com base em ofício da Secretária Municipal de Saúde, Márcia Huçulak, datado de 31 de agosto.