Coronavírus

Novo decreto em Maringá restringe atividades e aumenta toque de recolher

Cidade bateu recordes de novos casos nesta semana e também de mortes no mesmo dia

Guilherme
Guilherme Becker / Editor com informações da Prefeitura de Maringá
Novo decreto em Maringá restringe atividades e aumenta toque de recolher
(FOTO: REPRODUÇÃO/ REDES SOCIAIS/ PREFEITURA DE MARINGÁ)

25 de novembro de 2020 - 11:30 - Atualizado em 25 de novembro de 2020 - 11:30

O novo decreto de Maringá foi publicado nesta quarta-feira (25), após a cidade no norte do Paraná registrar novos recordes do coronavírus e passar da bandeira amarela (risco moderado) para a bandeira laranja (alto risco). Com as novas determinações parques serão fechados, bares e restaurante terão horários reduzidos, algumas atividades serão suspensas e o toque de recolher será estendido.

A medida da Prefeitura de Maringá é para conter o aumento de casos de coronavírus na cidade. Nos últimos dois dias o município bateu recorde de infecções, foram 404 na segunda-feira (23) e 407 na terça (24). 

O chefe do gabinete da Prefeitura de Maringá, Domingos Trevizan, ainda destacou que as cirurgias eletivas serão suspensas.

Novo decreto em Maringá

O novo decreto em Maringá passa a valer a partir desta quarta-feira (25). Veja algumas das mudanças:

  • Transporte coletivo só poderá operar com 50% da capacidade
  • Parques públicos serão fechados
  • Suspensão da prática de esportes coletivos em espaços públicos ou privados
  • Toque de recolher das 23h às 5h
  • Bares e restaurantes poderão funcionar até às 22h
  • Proibição de aglomeração em espaços públicos

Mudança de bandeira

Em função do aumento de casos de coronavírus e a necessidade de restringir a circulação de pessoas, a partir desta terça (24), a matriz de risco foi reposicionada do patamar amarelo (risco moderado) para o laranja (alto risco). De imediato, não serão aplicadas integralmente as medidas restritivas previstas na matriz, mas adotadas de forma gradual.

Em resumo, as medidas previstas no decreto são convergentes com o objetivo fundamental de conter aglomerações, o que implica também em toque de recolher a partir das 23 horas (antes era meia-noite). Fechamento de parques, quadras e campos de futebol, de áreas de lazer de condomínios e outras ações pontuais consideram a urgência de medidas restritivas para conter a circulação viral e preservar a capacidade de atendimento médico.

A fiscalização será rigorosa com descumprimento de medidas e decretos. Ação integrada de vistorias em estabelecimentos comerciais seguem de forma contínua. Contudo, não se descarta adoção de maior rigor no controle da pandemia, de acordo com avaliações diárias da evolução da pandemia. O importante é o entendimento que é fundamental reduzir o fluxo de pessoas nas ruas como forma de minimizar riscos de contaminação.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.