Lucas
Lucas Sarzi

29 de junho de 2020 - 19:38

Atualizado em 29 de junho de 2020 - 19:57

Coronavírus

Decreto de medidas restritivas no Paraná está sendo discutido em reunião

Decreto de medidas restritivas no Paraná está sendo discutido em reunião
(Foto: Divulgação)

O governo do Paraná está em reunião, neste momento, na noite desta segunda-feira (29), para definir detalhes sobre as ações de combate ao novo coronavírus no Estado. Um novo decreto, que pode definir uma espécie de lockdown em todo o Paraná, mas divido por regiões, deve ser divulgado nesta terça-feira (30).

A informação foi apurada pelo jornalista Marc Sousa, da RIC Record TV Curitiba, que soube ser discutido até um lockdown. A equipe técnica do governo discute detalhes da medida. “Decreto deve ser assinado no fim da tarde desta terça-feira. Serão medidas regionais, de acordo com cada realidade“, disse o jornalista.

O novo decreto, que pode definir lockdown em algumas regiões, vai valer para regiões específicas, as quais essa reunião ainda está definindo. “A decisão é uma resposta ao pedido do Ministério Público do Paraná (MP-PR), que entrou com ação civil pública contra o Estado e pediu medidas mais drásticas“, explicou Marc.

Como o MP-PR pediu uma posição do governo, o decreto será a resposta. “Um remédio amargo, mas necessário. Situação é delicada, principalmente no quesito ocupação de UTIs“.

A reunião, que discute a minuta do decreto – portanto, o texto e os detalhes todos – deve seguir pela noite desta segunda-feira. Se for anunciado nesta terça-feira mesmo, como é esperado, o decreto já vai valer a partir de quarta-feira.

O que diz, de imediato, o governo do Paraná?

Em nota, o governo do Paraná informa que está elaborando uma série de medidas para conter o avanço da covid-19. “As medidas estão sendo discutidas em diversas instâncias do Executivo e serão apresentadas aos demais poderes do Estado”.

A previsão é de que haja ampla divulgação das decisões nesta terça-feira (30). “O Governo do Estado antecipa que, diferente do que foi noticiado, não se trata de impor um lockdown em todo o Paraná“.