Coronavírus

Curitiba recebe mais de vinte mil doses da vacina AstraZeneca

A SMS relembrou que nenhum cidadão precisa procurar os serviços de saúde em busca da vacina, pois todos os vacinados vão ser convocados de acordo com o fluxo de vacinação, pelo aplicativo Saúde Já

Renata
Renata Nicolli Nasrala / Editora com informações da Prefeitura de Curitiba
Curitiba recebe mais de vinte mil doses da vacina AstraZeneca
Foto: Daniel Castellano / SMCS

24 de janeiro de 2021 - 11:58 - Atualizado em 24 de janeiro de 2021 - 11:58

Curitiba recebeu neste domingo (24) 20.380 doses da vacina AstraZeneca, produzida pela Universidade de Oxford. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), as doses vieram da Índia para o Brasil, e aqui a responsabilidade dos imunizantes é o Fiocruz, no Rio de Janeiro (RJ). Veja quem vai receber as primeiras doses da vacina contra o coronavírus na capital.

Doses da vacina AstraZeneca foram retiradas no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar)

As doses foram retiradas no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) e levadas para a Central de Vacinas do município. A partir desta segunda-feira (25), a SMS vai definir os novos públicos que poderão ser imunizados dentro do grupo previsto para a primeira fase no Plano Municipal de Imunização (PMI).

Até sexta-feira (22) o número total de imunizados em Curitiba chegou a 3.046 indivíduos entre profissionais de saúde, indígenas e parte dos funcionários, cuidadores e moradores das instituições de longa permanência. Ao todo, o Paraná já vacinou  57.200 pessoas contra a Covid-19.

 Foto: Divulgação / SMCS

No recebimento das vacinas em Curitiba a SMS relembrou que nenhum cidadão precisa procurar os serviços de saúde em busca da vacina, pois todos os vacinados vão ser convocados de acordo com o fluxo de vacinação pelo aplicativo Saúde Já.

Os grupos que já estavam definidos para serem vacinados nesta fase são:

  • 250 profissionais da enfermagem que atuarão como vacinadores na campanha;
  • Cerca de 6 mil moradores, funcionários e cuidadores das 127 instituições de longa permanência;
  • 93 indígenas aldeados da aldeia Kakané-Porã, na Regional Tatuquara;
  • Cerca de 12 mil profissionais de saúde da linha de frente da pandemia em toda a cidade; e as equipes das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), além de profissionais de serviços de remoção médica particulares. São cerca de 2.500 profissionais.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.