Renata
Renata Nicolli Nasrala / Editora com informações da AEN

1 de junho de 2020 - 14:07

Atualizado em 1 de junho de 2020 - 14:07

Coronavírus

Em uma semana, casos de coronavírus sobem 60% e mortes caem 23%, no Paraná

Em uma semana, casos de coronavírus sobem 60% e mortes caem 23%, no Paraná
Foto: Geraldo Bubniak/AEN

De acordo com o boletim epidemiológico publicado neste domingo (31) pela Secretaria de Estado da Saúde, em uma semana os casos de coronavírus no Paraná subiram em 60%. 

A diferença é entre os 877 casos da semana epidemiológica 21, período de 17 a 23 de maio, e os 1.404 da semana 22, período de 24 a 30 de maio.

Casos de coronavírus sobem no Paraná, mas mortes diminuem

Apesar do aumento de casos de coronavírus no Paraná, no mesmo quadro houve diminuição de 23% no número de óbitos, de 31 para 24.

As regiões que registraram maior quantidade de novos casos foram no oeste do Paraná, com 151%, e no noroeste, com 58%. A primeira pulou de 162 para 406 novos casos em sete dias e a segunda de 120 para 190.

Além disso, a incidência aumentou 36% nas regiões leste e norte, mas a evolução aconteceu dentro de um número absoluto maior: de 363 para 492 na primeira e de 232 para 316 na segunda.

Entre as semanas 20 e 21, de 10 a 16 de maio, houve crescimento 83% no número de casos e de 114% na quantidade de óbitos no Paraná. Os maiores crescimentos foram nessa ordem: Norte (245%), Oeste (67%), Leste (57%) e Noroeste (40%).

Como funciona a pesquisa da semana epidemiológica

A pesquisa da semana epidemiológica leva em consideração a data do diagnóstico do caso ou do óbito. Nisso, é feito uma análise sobre a evolução diária dos casos e óbitos no mesmo período mostra aumento similar de casos diagnosticados (61%), de 855 (semana 21) para 1.382 (semana 22), e crescimento de 19% em relação às mortes, de 26 para 31.

Além disso, os dados do boletim epidemiológico indicam curva ascendente de infecções pelo novo coronavírus e tendência de evolução nos próximos dias mesmo depois da realização de mais de 33 mil testes apenas na rede pública.

De acordo com o Governo do Paraná, a estimativa é reforçada porque mais pessoas serão testadas nas próximas semanas, dentro da estratégia adotada de ampliar o mapeamento, o que envolve testes rápidos, novos laboratórios credenciados e mais os perfis selecionados para os testes gold (RT-PCR) no Laboratório Central do Estado e no Instituto de Biologia Molecular do Paraná.

Apesar do aumento da disseminação, o Paraná mantém a menor incidência do novo coronavírus por 100 mil habitantes no Brasil, com taxa de 41. O índice nacional é de 245 e o regional (Sul) de 76,9.

Os estados com resultados mais próximo são Minas Gerais (49,4), Goiás (52,7) e Mato Grosso do Sul (53,6). O Paraná ainda tem o 3º menor índice de mortalidade por 100 mil habitantes, com taxa de 1,6, enquanto a do Brasil é 13,9.