Coronavírus

Brasil pede aos EUA avião militar para transportar oxigênio para Manaus

A White Martins, principal fornecedora de oxigênio para o governo do Amazonas, informou que atua para viabilizar a importação do produto da Venezuela

Reuters
Reuters
Brasil pede aos EUA avião militar para transportar oxigênio para Manaus
Paciente é transferido em Manaus em meio à pandemia de Covid-19

14 de janeiro de 2021 - 19:02 - Atualizado em 14 de janeiro de 2021 - 19:18

O governo brasileiro pediu ajuda aos Estados Unidos para que disponibilizem um avião militar que permita o transporte de oxigênio para Manaus, afirmou o deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM), diante da escassez no suprimento do insumo em meio ao agravamento da crise do Covid-19 no Amazonas.

Ramos disse que foi o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, quem lhe contou a respeito da requisição do avião dos EUA. Segundo o parlamentar, a solicitação era para que um avião cargueiro Galaxy, da Força Aérea daquele país, fosse disponibilizado.

Pouco depois de ter falado com Pazuello, o deputado afirmou ter recebido um contato do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), que pediu a ele que intercedesse para falar com a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil a fim de tratar do assunto.

Ramos disse ter ligado para o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), presidente da Comissão de Relações Exteriores e filho do presidente Jair Bolsonaro, para estabelecer um contato com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Contou ainda ter conseguido posteriormente um contato com o chanceler para tratar do assunto.

No início da noite desta quinta, o deputado disse que não havia tido um retorno dessas tratativas porque anteriormente estava em um voo. Ele disse que é “imprescindível” essa ajuda externa no transporte do oxigênio.

“É imprescindível, porque é a única possibilidade de transportar para Manaus de forma rápida”, disse ele, ao acrescentar que a única aeronave brasileira apta a fazer esse transporte, um Hércules, está em manutenção.

Segundo Marcelo Ramos, esse tipo de aeronave tem a capacidade de transportar 5 mil metros cúbicos de oxigênio. Mas ele relatou que Manaus tem consumido cerca de 70 mil metros cúbicos diários do insumo. Disse que tem havido falta dele em muitas localidades da capital e do interior do Estado.

Procurados, o Itamaraty, o Ministério da Saúde e a Embaixada dos EUA não retornaram de imediato os pedidos de comentário.

PIOR MOMENTO

Em entrevista mais cedo, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), admitiu que o Estado está enfrentando seu pior momento na pandemia de Covid-19, com dificuldades especialmente para a aquisição de oxigênio, em meio a uma nova disparada na contagem de casos e óbitos em decorrência da doença.

Segundo a Secretaria de Saúde amazonense, o Estado foi comunicado na noite de quarta-feira, pela empresa responsável, do colapso do plano logístico para algumas entregas de oxigênio, o que causaria a interrupção da programação por “algumas horas”.

A White Martins, principal fornecedora de oxigênio para o governo do Amazonas, informou que atua para viabilizar a importação do produto da Venezuela para suprir a alta demanda.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH0D1LT-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.