Coronavírus

Pandemia do coronavírus pode reverter desenvolvimento humano pela 1ª vez em 30 anos

Crise revelou a força da ação coletiva diante de uma ameaça comum

Renata
Renata Nicolli Nasrala / Editora com informações da Agência Brasil
Pandemia do coronavírus pode reverter desenvolvimento humano pela 1ª vez em 30 anos

21 de maio de 2020 - 00:00 - Atualizado em 21 de maio de 2020 - 00:00

De acordo com relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) desta quarta-feira (20) a pandemia causada pelo coronavírus pode reverter  o desenvolvimento humano pela primeira vez desde 1990, já que o surto expôs completamente as desigualdades pelo mundo.

Além disso, a instituição acrescentou que a crise revelou a força da ação coletiva diante de uma ameaça comum, e fez com que o mundo mostrasse força no combate à mudança climática.

Entenda como o coronavírus pode ajudar no desenvolvimento humano

De acordo com o chefe do Pnud, o teuto-brasileiro Achim Steiner, outros choques como a crise financeira de 2007-2009 ou o surto de ebola na África Ocidental em 2014-2016  abalaram, mas não impediram, avanços no desenvolvimento ano a ano de forma geral.

“A covid-19 pode mudar essa tendência com seu golpe triplo na saúde, educação e renda”, afirmou.

Além das mortes por coronavírus, que já ultrapassam 320 mil, a crise pode ter como efeito indireto a morte de mais 6 mil crianças por dia devido a doenças evitáveis nos próximos seis meses, conforme o Pnud.

Educação

Seis de 10 crianças em todo o mundo não estão recebendo educação por causa do fechamento de escolas, e como recessões profundas estão afetando a maioria das economias, o declínio no Índice de Desenvolvimento Humano do Pnud seria equivalente à anulação de todo o progresso dos últimos seis anos.

O declínio está afetando nações ricas e pobres, mas acredita-se que será muito mais agudo em países em desenvolvimento menos habilitados a lidar com as consequências sociais e econômicas da pandemia.

“Se não incluirmos a igualdade na caixa de ferramentas políticas, muitos ficarão ainda mais para trás”, alertou Pedro Conceição, diretor do escritório do Pnud que produz o Relatório de Desenvolvimento Humano anual.

“Isso é particularmente importante para as novas necessidades do século 21, como o acesso à internet, que está nos ajudando a nos beneficiarmos da teleducação, telemedicina e a trabalhar em casa”, acrescentou o diretor em comunicado.

Além disso, o Pnud estima que 86% das crianças no ensino primário estão, na prática, fora das escolas em países de baixo desenvolvimento por carecerem das ferramentas para o aprendizado digital – a taxa é de 20% nas nações mais ricas.

Quanto à aplicação das lições da pandemia no combate à mudança climática, “se precisávamos de uma prova de conceito de que a humanidade consegue reagir coletivamente a um desafio global compartilhado, agora estamos vivendo isso”, observou o relatório.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.