Balanço Geral Curitiba

Conselho Regional de Fonoaudiologia da 7 ª Região se posiciona contra o fim do Teste da Linguinha

Guilherme
Guilherme Becker / Editor

21 de abril de 2019 - 00:00 - Atualizado em 21 de abril de 2019 - 00:00

Após a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) solicitar, na última semana, ao Ministério da Saúde a revogação da lei que obriga hospitais e maternidades a fazerem o Teste da Linguinha em crianças nascidas em suas dependências, o Conselho Regional de Fonoaudiologia da 7 ª Região se posicionou.

LEIA TAMBÉM: Paraná segue em alerta contra a febre amarela

Conselho afirma que não há motivos para revogação

De acordo com nota oficial, o conselho orienta que a avaliação do Teste da Linguinha não é invasiva, não tem contraindicações e possibilita diagnóstico e encaminhamento para tratamento das alterações por equipe multidisciplinar. Sendo assim, não há motivos para a revogação da lei.

Confira a nota oficial divulgada pela assessoria de imprensa:

O Teste da Linguinha é uma técnica cujo objetivo é avaliar e diagnosticar variações anatômicas do frênulo lingual. A partir da lei no13.002/14 passou a ser obrigatório em todos hospitais e maternidades. As alterações do frênulo lingual podem gerar distorção ou troca do fonema, imprecisão dos movimentos da língua e protrusão lingual (movimento, deslocamento par a frente), com formação de coração no seu ápice, entre outros. O diagnóstico precoce é importante para a prevenção de problemas na amamentação, mastigação, deglutição e desenvolvimento da fala, de forma a promover saúde nos bebês atendidos.
Segundo a OMS, o aleitamento materno deve ser exclusivo até o 6° mês de vida e complementar até os dois anos ou mais. A anquiloglossia, também chamada de língua presa, pode levar a dificuldade do recém-nascido ao realizar a pega, dor para a mãe ao amamentar, fissuras mamárias e dificuldade de ganho de peso do bebê, fatores que contribuem para o desmame precoce. 
A avaliação realizada no Teste da Linguinha não é invasiva, não tem contraindicações e possibilita diagnóstico e encaminhamento para tratamento das alterações por equipe multidisciplinar. Sendo assim, não há motivos para a revogação desta lei tão importante para a saúde pública, visto que o teste é mais uma ferramenta para promover a saúde da criança.
O fonoaudiólogo é o profissional habilitado para atuar na promoção, avaliação e reabilitação do sistema sensório motor oral e suas funções (respiração, sucção, mastigação, deglutição e fala). Portanto, é plenamente capacitado para realizar a avaliação do frênulo lingual com segurança e primar pela saúde da sociedade.