Notícias

Conheça o vírus Nipah, apontado por cientistas como causa da próxima pandemia

O vírus já está no topo da lista da Organização Mundial de Saúde de prioridades para pesquisa, visto que ainda não existe um tratamento específico ou uma vacina que possa combatê-lo

Aline
Aline Taveira / Produtora
Conheça o vírus Nipah, apontado por cientistas como causa da próxima pandemia
(Foto: Reprodução)

13 de outubro de 2021 - 08:04 - Atualizado em 13 de outubro de 2021 - 08:04

Um vírus com taxa de mortalidade de 50% tem entrado no radar dos cientistas: Nipah, como é chamado, tem potencial para se disseminar com maior eficiência e pode causar uma nova pandemia muito mais letal do que a do Sars-CoV-2, a Covid-19. O alerta foi feito pela pesquisadora Sarah Gilbert, responsável pelo desenvolvimento da vacina de Oxford contra o coronavírus, durante um evento no Reino Unido.

Segundo a pesquisadora, não existe, até o momento, nenhuma vacina contra os vírus ou um tratamento específico para a infecção. Antes dos primeiros casos de Covid-19, segundo o Express UK, Gilbert trabalhava na criação de imunizantes contra o Nipah e a febre de Lassa. O desenvolvimento foi pausado para dar preferência à vacina contra a Covid-19.

“Aprendemos que em uma pandemia podemos fazer tudo mais rápido e melhor, e queremos aplicar essas lições, mas precisamos de financiamento. Temos que ter estoques de vacinas contra os patógenos que já conhecemos. Imagine se tivermos, de repente, um grande surto de Nipah que se espalhe ao redor do mundo?”, questiona.

O vírus Nipah está no topo da lista da Organização Mundial de Saúde (OMS) de prioridades para pesquisa e desenvolvimento de imunizantes. Ele pertence à família Paramyxoviridae e é responsável pela doença de Nipah, que teve um último surto neste ano, na Índia, após a morte de um adolescente de 12 anos. Pode ser transmitido, em um primeiro momento, pelo contato com porcos infectados ou frutas contaminadas com dejetos de morcego, evoluindo para a transmissão de pessoa para pessoa.

Sintomas

Identificada pela primeira vez em 1999, na Malásia, e verificada em outros países como Singapura, Índia e Bangladesh, os sintomas iniciais são semelhantes aos de uma gripe. No entanto, o quadro pode evoluir rapidamente e resultar em complicações neurológicas graves, como convulsões, transtornos da personalidade, insuficiência respiratória ou encefalite mortal.

Muitas vezes, a infecção pode ser assintomática. No entanto, no caso de aparecimento de sintomas, estes surgem entre 10 a 21 dias depois do contato com o vírus. Os principais são:

  • Dor muscular;
  • Dor de cabeça;
  • Náuseas;
  • Febre;
  • Inflamação do cérebro;
  • Desorientação;
  • Diminuição das funções mentais, que pode evoluir para o coma em 24 a 48 horas.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico da infecção pelo vírus Nipah pode ser feito pelos médicos a partir da avaliação inicial dos sinais e sintomas apresentados e da realização de exames especiais para isolar o vírus e sorologia para confirmar a infecção. Mesmo sem tratamento específico para o vírus, as medidas mais recorrentes são repouso, hidratação, realização de ventilação mecânica ou tratamento sintomático.

Estudos in vitro estão sendo feitos com o antiviral ribavirina, porém, não existem evidências de que o medicamento teria atividade contra a doença em humanos.